Aleksandr Golovin

Aleksandr Golovin

Aleksandr Sergeyevich Golovin, nascido em Kaltan, é um dos médios jovens europeus mais promissores. Chegou ao CSKA em 2012 e um ano depois sagraria-se Campeão Europeu Sub-17 pela Seleção Russa. Em 2015, ainda com idade júnior, estreou-se pela equipa principal do clube moscovita e de lá não mais saiu. Nas últimas duas épocas tem sido cada vez mais preponderante na sua equipa, tornando-se numa das estrelas da equipa atualmente orientada por Viktor Goncharenko.

Golovin é um jogador versátil, no centro do terreno pode jogar a 6,8 ou 10 e já chegou também a ser utilizado em ambos os corredores laterais. No entanto, é a jogar numa posição central que mais se destaca. É rápido com a bola nos pés e apresenta uma grande capacidade técnica, tal como excelentes atributos no capítulo do passe. Não apresenta qualquer receio de ir para cima de um adversário e arriscar no drible, onde geralmente é bem sucedido, mesmo que por vezes o faça em zonas proibitivas e cause calafrios a qualquer adepto do CSKA.

Tal como tantos jogadores da sua faixa etária, é na decisão que Golovin tem de melhorar para dar definitivamente o salto para um clube e liga mais apelativos. Nem sempre faz a melhor escolha na altura de largar a bola. Defensivamente ainda lhe são apontadas algumas falhas, apesar de ter melhorado bastante esse aspeto desde que apareceu na equipa principal do CSKA e na Seleção Russa onde conta já com 19 internacionalizações e 2 golos.

Com as excelentes exibições que protagonizou nas competições europeias esta época (Liga dos Campeões e Liga Europa), aliadas à sua presença no Mundial deste Verão, Golovin poderá, no final desta época, evoluir para um clube e liga de maior reputação. Já se falou no interesse de clubes como o Arsenal, o Chelsea e até mesmo do Barcelona neste jovem russo, do qual ainda iremos certamente ouvir falar bastante.

 

Sobre o Autor

Miguel Coelho

Nascido a meio da década de 90, desde cedo despertou nele a curiosidade e atenção pelo futebol. É actualmente estudante universitário e foi praticante da modalidade durante alguns anos nas camadas jovens, sendo nos dias de hoje um mero espectador e apaixonado pelo desporto-rei.

Artigos relacionados