Menu Fechar

Antevisão da Liga Dos Campeões Europeus (1ª parte)

Depois de terminada a fase de qualificação, foi sorteada a fase de grupos da Liga dos Campeões Europeus para a época 2016/2017, assim como foi atribuído o prémio de melhor jogador a actuar na Europa, da época transacta, ao português Cristiano Ronaldo. Esta época, a maior prova mundial de clubes conta com algumas estreias: o Leicester City, surpreendente campeão inglês e o Rostov, da Rússia. Os crónicos favoritos Real Madrid, Bayern Munique e Barcelona marcam também presença. Quem marca também presença de novo na fase de grupos, são os três grandes de Portugal.

 

Grupo A


grupo-a

Grupo encabeçado pelo Paris Saint-Germain, campeão francês que conta como rivais o Arsenal, Basileia e Ludogorets. Afigura-se um grupo dominado pelos parisienses e pelos “Gunners”, mas existe sempre a possibilidade – ainda que ínfima – do Basileia se intrometer na luta pela passagem aos oitavos-de-final.

Paris Saint-Germain: A formação francesa será comandada esta época por Unai Emery que chega do Sevilha. Procuram nesta edição da Liga dos Campeões fixar-se como um candidato ao troféu e com isso espera-se que domine o seu grupo, tendo como maior obstáculo o Arsenal. O esquema apresentado pela equipa deverá ser um 1-4-2-3-1, podendo variar por vezes para um 1-4-3-3. O PSG conta ainda com Krychowiak, Jesé, Meunier e Ben Arfa como reforços.

Arsenal: Os “Gunners” são já presença assídua na Liga dos Campeões e querem confirmar o seu estatuto de “tubarão”, passando a fase de grupos e melhorando a sua prestação na fase a eliminar, onde não têm sido felizes nas ultimas épocas. Na luta pelo topo do grupo serão o grande adversário do Paris Saint-Germain. Arsène Wenger deverá apostar no seu 1-4-2-3-1 e conta como reforços para esta época jogadores como Granit Xhaka, Mustafi, Lucas Pérez, Takuma Asano e Holding. A equipa londrina manteve a base da época transacta e colmatou algumas lacunas com a contratação dos jogadores a negrito, embora Lucas Pérez seja ainda uma dúvida para este nível.

Basileia: A equipa orientada por Urs Fischer não tem tarefa fácil no que toca à passagem para a próxima fase, no entanto os suíços são apontados como prováveis terceiros do grupo, dando assim acesso à Liga Europa. Esta equipa já habituou os espectadores a algumas surpresas e por isso será sempre complicado prever aquilo que aguarda o Basileia no que toca à sua prestação. Habitualmente é uma formação organizada num 1-4-2-3-1 e esta temporada, apesar de serem os crónicos campeões suíços, foram ao mercado. Os nomes que chegaram são: Djordje Nikolic, Serey Dié, Kevin Bua, Omar Gaber, Blas Riveros, Seydou Doumbia, Mohamed Elyounoussi e Éder Balanta. De realçar que durante este mercado perderam a sua jóia da coroa, Breel Embolo.

Ludogorets: Os búlgaros orientados por Georgi Dermendzhiev são os “underdogs” deste grupo e procuram pelo menos o acesso à Liga Europa e tentar o maior encaixe financeiro possível, tentando mostrar que os resultados alcançados no passado não foram fruto do acaso. Esta equipa deverá apostar no seu já habitual 1-4-2-3-1 que poderá variar para 1-4-4-1-1, e conta com os reforços Gustavo Campanharo, Palomino e Plastun para ajudar a equipa conseguir atingir os seus objectivos, juntamente com outros jogadores influentes do clube como Keseru e Jonathan Cafú que juntos fizeram 15 e 8 golos respectivamente na temporada passada. Outros jogadores de qualidade que esta formação tem são: Stoyanov, Cicinho, Wanderson e Quixadá.

 

Grupo B


grupo-b

Olhamos agora para o Grupo B, que conta com a presença de uma formação portuguesa, o Benfica. Os “encarnados” mesmo tendo sido cabeças de série, viram o seu caminho ser cruzado com os italianos do Nápoles, o campeão ucraniano Dínamo Kiev e o campeão turco Besiktas de Ricardo Quaresma, Talisca (curiosamente emprestado pelo Benfica) e Aboubakar. Neste grupo, prevê-se que Nápoles e Benfica sejam os favoritos à passagem, mas Dínamo Kiev e Besiktas prometem equilibrar.

Benfica: O tricampeão nacional liderado por Rui Vitória entra com os mesmos objectivos da época passada na Liga dos Campeões: ir o mais longe possível e fazer um bom encaixe financeiro. Rui Vitória mantém para esta época o seu 1-4-4-2, com algumas alterações fruto de saídas como de Gaitán e Renato Sanches. No entanto, o Benfica atacou fortemente o mercado e conta com reforços como: Rafa Silva, Zivkovic, Danilo, André Horta, Carrillo e Franco Cervi. O inicio de época da equipa de Rui Vitória tem sido marcada por diversas lesões, esperando o treinador que os vários jogadores lesionados recuperem a tempo do embate de estreia.

Nápoles: A equipa orientada por Maurizio Sarri regressa à liga milionária com pelo menos os Oitavos de final em mente. As equipas de Sarri praticam um futebol vistoso e este Nápoles não é excepção. No campeonato italiano querem continuar a ser o principal rival da crónica campeã Juventus. Sarri coloca a sua equipa a jogar num 1-4-3-3 com um trio da frente com muita mobilidade. Para esta nova época, os italianos contam com os reforços Giaccherini, Marko Rog, Nikola Maksimovic, Tonelli, Zielinski, Amadou Diawara e Milik. No entanto, a equipa italiana perdeu a sua grande estrela no mercado de verão, já que Higuaín foi para a Juventus.

Dinamo Kiev: O campeão ucraniano sob o comando de Sergiy Rebrov entra neste grupo B com o objectivo de passar aos Oitavos de final ou, pelo menos, garantir o acesso à Liga Europa (são na teoria a equipa mais fraca individualmente). Variando entre o 1-4-2-3-1 e o 1-4-3-3 a equipa que tem como grande figura o atacante Yarmolenko, conta com algumas novas adições ao plantel que podem ajudar a atingir os objectivos e são eles, Gladky contratado ao rival do Shakhtar Donetsk e ainda Artem Gromov antigo médio ala esquerdo do Vorskla Poltava, mas que terão, teoricamente, dificuldades para suprir saídas de peso, como Mbokani, Dragovic e Miguel Veloso.

Besiktas: O campeão turco do português Ricardo Quaresma está de regresso à competição nesta temporada e quer aproveitar ao máximo a sua presença. As águias negras procuram uma passagem aos Oitavos de final ou, pelo menos, garantir a presença na Liga Europa, mas a passagem da fase de grupos é um objectivo claro e ambicioso dos turcos. Orientados por Senol Günes, actuam num 1-4-2-3-1 para atacar esta nova época e contam com alguns reforços que são caras conhecidas dos portugueses. Gökhan Inler, Caner Erkin, Fabrício, Gökhan Gönül, Atinc Nukan, Oguzhan Aydogan, Adriano (ex-Barcelona), Talisca, Marcelo e Vincent Aboubakar. Uma lista extensa de reforços que aumenta substancialmente o leque de opções para o treinador e que tentarão fazer esquecer as saídas de Gohkan Tore, Jose Sosa e Mario Gómez, jogadores muito importantes na época anterior.

 

Grupo C


grupo-c

De seguida, temos o grupo C, um dos grupos mais entusiasmantes desta edição da Liga dos Campeões e uma das razões (senão mesmo a principal) é o regresso de Pep Guardiola a Camp Nou, desta vez no comando dos ingleses do Manchester City. Além do Barcelona e Manchester City, este grupo tem ainda presentes o Borussia Mönchengladbach e Celtic. Espera-se um grupo competitivo e com bom futebol, mas, ainda assim, Barcelona e Manchester City são favoritos à passagem, enquanto que o Borussia e Celtic devem disputar a entrada na Liga Europa (aqui, o favoritismo está no lado dos germânicos).

Barcelona: Mais uma época sob o comando de Luis Enrique, o catalães são um dos crónicos favoritos a vencer a competição (talvez mesmo os mais fortes), mas nesta fase de grupos contam com uma cara bastante conhecida como rival, Pep Guardiola. Mantendo o 1-4-3-3 comum ao Barcelona, a turma de Messi, Iniesta, Neymar, Suárez e companhia, conta com alguns reforços de qualidade e são eles, Umtiti, Cillessen, Lucas Digne, André Gomes, Denis Suárez e Paco Alcácer. Reforços que prometem elevar ainda mais a qualidade catalã.

Manchester City: Agora comandados por Pep Guardiola, os citizens procuram tornar-se um sério candidato a vencer a competição, mas para isso terão de se apurar num grupo complicado, tendo o Barcelona como cabeça de série. Actuando num 1-4-1-4-1 que pode variar para 1-4-3-3 ou 1-4-2-3-1, a formação inglesa está ainda em processo de interiorização de toda a filosofia de jogo de Guardiola e as suas aquisições para esta nova temporada podem ajudar. Cláudio Bravo, John Stones, Gündogan, Nolito e Leroy Sané são os reforços escolhidos para tentarem elevar o patamar competitivo do Manchester City a nível europeu.

Borussia Mönchengladbach: Sob o comando de André Schubert, os alemães tentam esta época uma presença nos Oitavos de final, mas para isso terão de suplantar ou o Barcelona ou Manchester City. Noutro sentido, têm sempre a possibilidade de entrar na Liga Europa e para isso contam com o Celtic como adversário, já que os escoceses são, para já e em teoria, carta fora do baralho no que toca à luta pela passagem. A equipa de Schubert actua em 1-3-4-1-2, uma táctica que tem dado sucesso, com um futebol bastante fluído e agradável de acompanhar, procurando, nesta época, estar mais fortes com as novas contratações, Vestergaard, Mamadou Doucouré, Christoph Kramer, Tobias Strobl e Lászlo Bénes.

Celtic: Os escoceses podem-se queixar do sorteio, por estarem emparelhados num grupo muito complicado e que dificulta as suas aspirações europeias, ainda assim, podem lutar pelo menos por um acesso à Liga Europa. Agora treinados por Brendan Rodgers, antigo técnico do Liverpool apostam maioritariamente num 1-4-2-3-1, podendo variar para 1-4-4-2 ou o 1-3-1-4-2, utilizado na vitória por 3-0 sobre o Lincoln de Gibraltar. Já com jogadores de qualidade como Commons, Nir Bitton ou Leigh Griffiths contam ainda com alguns reforços como Dorus de Vries, Kolo Touré, Cristian Gamboa, Kristoffer Ajer, Scott Sinclair, Moussa Dembélé e ainda o promissor Patrick Roberts, emprestado pelo Manchester City.

 

Grupo D


grupo-d

Grupo D, constituído pelo Bayern Munique, Atlético Madrid, PSV Eindhoven e o estreante Rostov. Espera-se que seja um grupo dominado pelo Bayern e pelo Atlético, um duelo que promete, visto que os campeões alemães vão tentar corrigir o resultado final do último confronto com os ‘Colchoneros’ e que ditou o afastamento dos bávaros na temporada passada. O PSV e Rostov teoricamente serão adversários directos na luta pela entrada na Liga Europa, mas querem ter uma palavra a dizer na luta pelos Oitavos de final.

Bayern Munique: Agora orientados pelo italiano Carlo Ancelotti, os bávaros tentam esta temporada o objectivo europeu que falharam com Pep Guardiola ao leme, o título europeu. O Bayern é um dos crónicos favoritos nesta competição, tendo um super plantel com opções para todos os gostos, e vai tentar repetir as conquistas europeias que fazem parte do seu palmarés. Equipa orientada num 1-4-3-3, conta esta época com praticamente a mesma equipa da temporada passada, mas como duas adições muito importantes: Hummels e Renato Sanches.

Atlético Madrid: Os ‘Colchoneros’ nesta edição da Liga dos Campeões tentarão uma vez mais surpreender os adeptos e atingir uma meia final ou mesmo a final da prova. No seu já tradicional 1-4-4-2, e com a muita agressividade  e uma capacidade de pressão organizada pouco comum que são a imagem de marca de Simeone. No mercado, o Atlético tentou arranjar forma de melhorar ainda mais o leque de opções da equipa e as aquisições foram: Sime Vrsaljko, Nico Gaitán, e Kévin Gameiro.

PSV Eindhoven: Grupo complicado para o PSV de Cocu tentar repetir a passagem aos Oitavos de final, visto dois dos adversários serem muito fortes. Por outro lado, no acesso à Liga Europa, têm pela frente aquele que provavelmente será o seu adversário directo, o Rostov, que curiosamente eliminou o grande rival do PSV, o Ajax. Os holandeses actuam num 1-4-3-3 e para esta temporada contam com alguns reforços de qualidade que são eles: Hidde Jurjus, Daniel Schwaab, Siem de Jong, Bart Ramselaar e Oleksandr Zinchenko.

FK Rostov: Estreantes na liga milionária, são vice-campeões russos e querem provar que são capazes de ombrear com as boas equipas do velho continente. Os objectivos passam um pouco pelo encaixe financeiro, numa altura em que estão com pouca margem financeira para fortalecer o plantel, e pelo menos um acesso à Liga Europa. Depois de eliminarem o Ajax no play off de acesso à fase de grupos, os russos voltam a encontrar uma formação holandesa, desta feita, o PSV Eindhoven. Esta formação orientada por Dmitri Kirichenko actua num 1-3-5-2 e conta com alguns jogadores de qualidade como o experiente César Navas, Christian Noboa e Sardar Azmoun. Reforços para ajudarem a formação russa a pelo menos repetir a boa temporada passada são: Ivan Komissarov, Papa Gueye, Miha Mevlja, Vladimir Granat, Dmitri Skopintsev, Andrei Prepelita e Maksim Grigorjev.