Menu Fechar

Como Keizer surpreendeu o SC Braga de Abel

A vitória do Sporting CP diante do SC Braga ficou marcada pela mudança de estratégia de Marcel Keizer. Contrariamente àquilo que os “leões” vinham fazendo nos últimos jogos, diante da equipa de Abel a formação leonina surpreendeu e assumiu um 3-4-3 aquando da organização ofensiva, tal como os arsenalistas se costumam apresentar neste momento do jogo, com Marcelo Goiano a juntar-se aos dois defesas centrais, libertando o corredor direito para Esgaio, sendo que Sequeira fica a cargo do flanco esquerdo.

O Sporting apresentou-se em 3-4-3 no momento de organização ofensiva

Como se pode ver pelas imagem, a construção por parte do Sporting CP foi feita a três, com Ilori a assumir-se como central pela direita, Coates no meio e Borja (que no papel seria o lateral esquerdo) era o terceiro central.

Nesta fase, os dois médios Gudelj e Wendel jogavam mais próximos, numa espécie de duplo pivot. Ristovski e Acuña davam profundidade à equipa pelos flancos, enquanto Diaby e Bruno Fernandes se colocavam mais em terrenos interiores, com Bas Dost na frente.

Esta mudança que Marcel Keizer aplicou na equipa retirou as referências de pressão aos homens do SC Braga e libertou jogadores como Acuña, Ristovski e Bruno Fernandes. Os dois primeiros não tiveram tanta necessidade de se preocupar tanto com o espaço nas suas costas e o médio português procurou zonas mais adiantadas e próximas do avançado, que beneficiam as suas características.

Nemanja Gudelj também pareceu beneficiar da alteração na estrutura leonina, já que com Wendel ao seu lado esteve sempre mais consciente em termos posicionais.

O SC Braga nunca conseguiu reagir e adaptar-se às alterações implementadas por Marcel Keizer e o Sporting CP realizou uma das melhores e mais sóbrias exibições da temporada, dando uma resposta bastante positiva às críticas de que havia sido alvo nas últimas semanas.

Gudelj no meio dos centrais a construir
Petrovic baixa para o meio dos centrais na 1ª fase de construção

Em comparação com as imagens dos encontros diante de Feirense e Villarreal, podemos ver que aqui a construção, numa primeira fase, é feita a três, mas o homem que aparece na zona mais central é Nemanja Gudelj (vs Feirense) ou Petrovic (vs Villarreal), ou seja o médio mais recuado da equipa. Bruno Fernandes joga numa posição mais recuada e os homens das linhas não dão tanta profundidade.