Menu Close

A edição de 2020 da Copinha já terminou e viu vitoriosa a equipa do Internacional, que na final do torneio derrotou o grande rival Grêmio. Como é hábito, a  ProScout traz a lista dos jogadores que mais se destacaram nesta competição. 

GR: Emerson Júnior (Internacional)

Goleiro de 19 anos que fez toda a sua formação no Internacional e foi uma das peças decisivas na conquista da Copinha 2020. Sofreu apenas 4 gols em 8 partidas. Atleta alto e possante mas com algumas dificuldades nas disputas aéreas. Excelente capacidade de reacção entre os postes, ágil e com bons reflexos. Forte no controlo de profundidade e no jogo com os pés. Não terá a vida fácil para garantir uma oportunidade no time principal. Precisa de jogar com regularidade nos Sub-20 para continuar a evoluir e colmatar as suas principais lacunas.

DD: Daniel Marcos (Corinthians)

Daniel é um lateral direito rápido, com forte propensão ofensiva e que conta com excelentes entendimentos associativos no último terço do terreno de jogo. Tenta explorar a velocidade e poder de área dos seus homens mais avançados através de passos nas costas da defesa e de cruzamentos. Defensivamente destaca-se pela leitura de jogo, algo que é evidenciado na antecipação que faz aos lances e no controlo da profundidade.

Estatisticamente tem também ele números muito interessantes para um defesa lateral. O jovem corinthiano conta com 83% de eficácia de passe, 2,9 dribles bem sucedidos e 1,7 passes chave por jogo.

DC: Tiago Barbosa (Internacional)

O patrão da defesa do Internacional e um dos melhores zagueiros da prova. Aos 18 anos foi um dos destaques da Copinha e um dos responsáveis pela campanha vitoriosa da equipa orientada por Fábio Matias. Alinhou como zagueiro nos dois lados e mostrou competência com bola nos pés. Apesar de não ser um jogador muito veloz acaba por compensar com o seu posicionamento, marcação e capacidade de desarme. Forte fisicamente e com boa capacidade de impulsão no jogo aéreo. Demonstra ser um central seguro e confiante, sem ter medo de ter bola no pé e sair a jogar. Começou no Atlético Mineiro e em 2019 rumou para o Internacional.

DC: Derick (Santos)

Do alto do seu 1,93m, Derick é um zagueiro de passada larga, que gosta de sair a jogar com bola no pé e também com elevado poder de impulsão, característica essa que faz dele um elemento muito importante nas bolas paradas defensivas e ofensivas da sua equipa. Nos escalões mais jovens, foi sempre beneficiado pela sua enorme estatura física, pelo que resta saber se irá conseguir adaptar-se à realidade de campeonatos seniores onde as exigências serão muito maiores.

Até aos dias de hoje, demonstra muita qualidade e as suas estatísticas falam por si. Conta com uma média de seis recuperações de bola por jogo, 73% de desafios aéreos ganhos e 83% de acerto no passe. Jesualdo Ferreira tem aqui um jovem com excelentes indicações para poder rentabilizar num futuro próximo.

DE: Luan Vitor (Oeste)

O lateral esquerdo que mais se destacou nesta competição foi o defesa do Oeste, Luan Vitor. Foi um dos jogadores mais utilizados do torneio, tendo participado em 8 jogos e marcou por 2 vezes, na fase de grupos, frente a Sergipe e Trindade. No plantel do Oeste por empréstimo do Corinthians, soube aproveitar muito bem a oportunidade que lhe foi dada e cumpriu com grande nível e foi um dos grandes contribuidores para a caminhada muito positiva do Oesta na Copinha, que caiu apenas nas meias-finais frente ao Grêmio. 

É um lateral de baixa estatura, com um centro de gravidade baixo, concedendo-lhe grande agilidade. Com técnica de drible muito acima da média, é um lateral talhado para acelerar o jogo através de condução de bola, o que o torna uma arma muito forte na transição ofensiva. 

MC: Bruno Praxedes (Internacional)

É um dos nomes do futuro do futebol brasileiro. O meia de 17 anos foi um dos destaques da Copinha e já se estreou no time principal do Internacional no Campeonato Gaúcho, clube onde chegou em 2019 depois de ter passado pelo Fluminense. Fez 2 gols em 8 partidas e foi um dos motores do seu time. Não se esconde do jogo, gosta de assumir e pedir bola. Canhoto com uma grande capacidade técnica e visão de jogo. Apresenta uma excelente qualidade na organização da fase ofensiva da sua equipe. Apesar de começar em zonas mais recuadas para ter espaço e tempo para organizar, também aparece bem em zonas de finalização ou para rematar fora da área.

MC: Diego Rosa (Grêmio)

Foi eleito o melhor jogador da Copinha 2020 aos 17 anos e demonstrou dentro de campo que é uma das promesas do futebol brasileiro. Em 2019 já tinha feito parte do elenco que disputou o Mundial Sub-17, prova que o Brasil conquistou. Fez 5 partidas e 2 gols e na Copinha teve um registo idêntico nos gols. Apontou 2 em 8 jogos. Meia destro com muito critério nas suas decisões. Ofensivamente é um jogador capaz de construir e organizar o processo ofensivo mas defensivamente também é um jogador com características muito interessantes. Forte no desarme, pressão e posicionamento defensivo. Evoluído tecnicamente e com boa meia distância. Um líder e um jogador muito completo. É responsável pelos lances de bola parada. Chegou ao Grêmio em 2018 depois de ter representado o Vitória.

ME: Elias (Grêmio)

Artilheiro do Grêmio na Copinha 2020. Apontou 6 gols em 9 partidas e foi decisivo para levar o time até à final e ser vice-campeão. É uma das esperanças do seu time e aos 18 anos pode vir a ter uma chance no escalão principal, fruto das suas caraterísticas únicas. Joga como extremo a partir do lado esquerdo mas é destro. Jogador veloz que utiliza as suas arrancadas e a sua qualidade técnica para fazer a diferença nas partidas. Rápido no ataque à profundidade e inteligente na forma como percebe onde a bola vai cair para atacar esse espaço. Conduz de fora para dentro e explora muito as diagonais. No ano passado teve alguns problemas com lesões mas se der continuidade a este momento pode vir a ser chamado por Renato Gaúcho para se estrear no Grêmio, clube onde tem feito toda a sua formação.

MD: Galeano (São Paulo)

Galeano, do São Paulo, é o jogador que ocupa a posição de extremo direito nas nossas escolhas. Natural do Paraguai (primeiro estrangeiro da história a contratado para a formação do clube) foi realmente o grande destaque da equipa. Ainda vinculado ao Rubio Ñu, a contratação em definitivo custaria um valor a rondar os 500m€. Nesta edição da Copinha, que terminou nos quartos de final frente ao Oeste, Galeano marcou 5 golos em 5 jogos. Números excepcionais, tendo em conta que se trata de um jogador que joga maioritariamente do seu tempo a partir da ala direita. 

Extremo explosivo, com muita aceleração e força física, mostra bons recursos técnicos com ambos os pés, capacidade de remate de meia distância e gosta de aparecer ao segundo poste para aproveitar cruzamentos dos seus colegas (marcou 3 dos seus 5 golos desta forma). 

PL: Reifit (Oeste)

Mais um jogador do Oeste escolhido pela ProScout e curiosamente mais um que está nesse clube por empréstimo do Corinthians e que  passou também pelos escalões de formação do Santos. Da geração de 2001, é um jogador versátil que pode fazer as posições de médio ofensivo num sistema a 3 médios, de 2º avançado ou até como extremo. Já tem contrato profissional com o Corinthians e será interessante perceber se o seu futuro em 2020 passará por voltar à casa mãe ou continuar a evoluir no contexo do Oeste. 

Tem um pé esquerdo de muita qualidade técnica (bola controlada sempre junto ao pé), tem boa visão de jogo, capacidade de passe e de ligação com os avançados e bom remate de meia distância. 

PL: Felipe Micael (Marissol)

Depois da sua incrível prestação nesta competição ao serviço do Mirassol, logrando o título de melhor marcador, Felipe Micael foi já transferido para o Beerschot Wilrijk da Segunda Divisão Belga. O ponta de lança brasileiro é exímio a procurar desmarcações, muito oportuno e finaliza bem com ambos os pés, sendo o seu pé esquerdo o melhor.

Com 1,78m, não é um avançado alto e talvez por isso sinta algumas dificuldades nas bolas aéreas. Por outro lado, tem apenas 18 anos, o que lhe dá uma margem incrível para crescer, procurar corrigir as suas lacunas e tornar-se uma referência na sua posição. Com 10 golos marcados em apenas 6 jogos, resta-nos aguardar que mais venham, desta feita na Europa.