Menu Close

Análise Tática – Rangers

Depois do FC Porto na fase de grupos, agora é a vez do SC Braga enfrentar o Rangers na Liga Europa. A equipa orientada por Steven Gerrard passou a fase de grupos na 2ª posição, com 2 vitórias, 3 empates e apenas 1 derrota. Obtiveram 8 golos marcados e 6 golos sofridos, tendo sido mesmo a defesa menos batida do Grupo G. No campeonato, seguem tranquilamente no 2º lugar da tabela classificativa, já distante do 1º lugar, que pertence ao grande rival, Celtic, mas também bastante com larga vantagem para o 3º classificado. Este conforto nas competições internas pode trazer uma vantagem competitiva frente ao SC Braga, caso Steven Gerrard decidir fazer descansar alguns dos jogadores mais importantes nos jogos do campeonato, para se poderem apresentar nas melhores condições físicas nos jogos europeus.

Sistema Tático e XI Base

O Rangers tem como ponto de partida o 1x4x3x3, alternando por vezes o triângulo do meio campo consoante a equipa adversária. Podem atuar com um médio mais recuado na base do triângulo – geralmente é Steven Davis a fazer este papel – ou então podem inverter o triângulo e utilizar um médio de características mais ofensivas, como Joe Aribo. No entanto, tem sido este o XI base mais utilizado:

Momento ofensivo

É principalmente através dos médios que se inicia a construção do jogo ofensivo. Frequentemente, um destes jogadores desce para perto dos centrais para participar e assumir a primeira fase de construção, com o objetivo de ligar sectores para fazer a bola chegar à zona de finalização o mais rápido possível. São jogadores com tendências mais defensivas, mas com qualidade técnica no passe diferenciada, com capacidade para encontrar facilmente espaços entre linhas e queimar as linhas dos adversários, fazendo assim progredir a bola.

Nas zonas mais avançadas, há a busca pela referência Morelos, melhor marcador da fase de grupos da competição, um avançado possante e móvel, com grande capacidade na finalização e nos apoios. Há também muita liberdade para os extremos partirem para o desequilibro individual frente aos laterais adversários e explorarem essa vantagem.

Momento defensivo

O Rangers de Gerrard é uma equipa que assim que perde a bola tem uma capacidade de pressão muito forte e coloca rapidamente muitos defesas junto da zona do portador da bola, sempre com a intenção de a recuperar o mais depressa possível. O triângulo de médios é essencial neste processo, devido à sua coordenação, capacidade de reação e agressividade. É-lhes exigido que tenham um grande raio de ação, que depois pode causar alguma fadiga nos minutos finais das partidas. O avançado e os extremos também são muito importantes neste processo, pois são geralmente os primeiros defesas, saltando na pressão logo na fase de construção adversária.

A figura: