Menu Close
[:pt]

Diogo Queirós é, hoje por hoje, um dos projectos mais cativantes na formação em Portugal. Com um trajecto deste tenra idade ligado ao Futebol Clube do Porto – começou no Leixões, mas rapidamente chamou a atenção dos responsáveis dos Dragões – tem se afirmado progressivamente como um dos pilares do clube, desde os iniciados, passando pelo habitual empréstimo à equipa sub17 do Padroense, até à precoce titularidade nos júniores (não esquecer o seu estatuto de juvenil de 2.º ano). Esta caminhada, quase sempre marcada pelo envergar da braçadeira de capitão, estende-se às selecções nacionais, onde é presença assídua desde os sub15 e, nesta temporada, à selecção sub17 onde o seu contributo foi determinante no apuramento para o europeu da categoria (titular em todas as partidas, à excepção da última frente à Croácia onde o apuramento já estava garantido). Foi titular e capitão durante toda a campanha que deu a vitória a Portugal no Euro Sub-17.

Dentro do campo rapidamente nos apercebemos da sua presença, marcada por um estilo que nos faz viajar para uma escola de centrais a que o Porto nos habituou, embora nos últimos anos de forma menos prolífica. Elegante, com uma qualidade técnica invulgar em Portugal na sua posição e a basear grande parte do seu jogo na antecipação, o jovem central raramente recorre à falta e insiste numa saída limpa em grande parte dos lances, algo que, por vezes, transparece falta de agressividade. No outro lado da questão, o internacional sub17 denota alguma dificuldade no deslocamento e agilidade – características inatas e, por consequência, dificilmente aprimoradas -, assim como na forma como disputa lances pelo ar (algo também inerente à idade).

A longo prazo, o jogador beneficiará certamente de uma subida precoce à equipa B Portista, onde poderá encontrar outros estímulos ao seu jogo. Como o bloco baixo que é inexistente em 2/3 da época no plantel sub19 e executantes mais rápidos e agressivos sobre a bola. Factores que podem proporcionar um acelerar do seu crescimento. Sobre o jovem central pairará o insucesso de alguns seus antecessores, Tiago Ferreira, Ricardo Tavares ou Abdoulaye, mas este enquadramento profissional antes da equipa A poderá ser decisivo no seu maturar.

queirós[:en]In the present, Diogo Queirós is one of the most cativating prospects in Portugal. Being so young he comes a long way in FC Porto, but before that he started in Leixões, quickly he caught the attention from FC Porto. He has been one of the pilars of FC Porto since a kid, having also a passage in Padroense’s u17 team on loan, now he is a starting man in FC Porto’s u19 team despite still being a u17 player. His career has been impressive so far, being the team’s captain not only in FC Porto but also in the National team where he has been a regular since the u15 and, in this season, in the u17 team where is contribute was determinant in the qualification for the u17 UEFA European Cup (Started in all matches except the last qualification game against Croatia where Portugal was already qualified). He was in the starting eleven and the captain during all the campaign that gave Portugal the win in Euro u17.

Inside the pitch we quickly notice his presence, due to his style, that makes a travel to a school of Centre Backs that FC Porto made us used to, despite that in the last years being less fruitful. Elegant, with an unusual technique in Portugal in his position and basing most of his game in anticipation, he rarely makes a foul and insists in a clean tackle in most cases, something that, sometimes seems like lack of agressivness. On the other side, the U17 international has some dificulties in moving and agility, caractristics that are not his and by consequence, hardly improved, as for the way he disputes the ball in the air (something also due to the age).

In a long term, the player will surely benefit a call to FC Porto’s B team, where he could find stimulations to his game. Since the deep laying defense is inexistent in two thirds of the season in the U19 squad, faster executioners and more agressive players on the ball. Factors that may trigger a faster development.
On the shoulders the young centre back will be the weight of the unsuccess from some of his predcessors, Tiago Ferreira, Ricardo Tavares or Abdoulaye, but his professional experience before the A team it can be decisive on his maturing.

queirós[:]