Menu Close

A qualidade do Atlético em Anfield Road

Liverpool x Atlético, 2º mão, oitavos de final da Liga dos Campeões. Depois de uma vitória por 1-0 da equipa Madrilena a estratégia foi a expectável por parte de Diego Simeone: Organização Defensiva, bloco baixo, agressividade nas marcações, impedir correrias de Salah e Mané, impedir Firmino entre a linha média e defensiva.

O Atlético de Madrid passou imenso tempo em Organização Defensiva no habitual 1-4-4-2, com um bloco baixo característico:

  • Setores sempre muito próximos (s/ espaço entre linha média e defensiva)
  • Concretização dos Princípios de Jogo Defensivos: Contenção, Cobertura, Equilibro, Concentração;
  • Procura pela Superioridade numérica, sobretudo nos corredores laterais;

Foram poucas as ocasiões e os espaços concedidos, para além de 2s bolas, bolas paradas e remates de longe. E o que chegou à baliza, um dos melhores GR do mundo esteve à imagem dos seus colegas… Mérito colectivo, também com valores que marcam a diferença desportiva: compromisso, esforço, espírito de sacrifício, resiliência.

O 1º golo do Liverpool surge de um lance que o Atlético ao longo do jogo defendeu da melhor forma: duas linhas no controlo de cruzamento. Quando assim não aconteceu…sofreu.

Ofensivamente, poucas e vagas ideias. Em Organização, jogo direto para os dois avançados, quase sempre inconsequente. Em transição ofensiva, deu-se maioritariamente um passe recuado com posterior jogo direto também para os avançados. Lances individuais com destaque para João Felix, Koke e Correa.

Há um momento de jogo que também marca o jogo e a estratégia de Simenoe: Os Esquemas Táticos, sobretudo os Lançamentos Laterais Ofensivos. Com um claro aproveitamento espacial desses lances, o Atlético procurou subir a equipa, sobretudo com uma variação de corredor. Ganhando a 1º ou 2º bola, foi um momento de jogo onde se adiantavam no campo, normalmente pelo lateral do lado contrário…procurando acelerar e causar desconforto ao adversário.

Tomar conta do jogo, controlar o jogo, não é apenas em organização ofensiva ou defensiva…É conhecer o jogo na sua totalidade, e tomar proveito disso.

Simeone contra os críticos, que admito que por vezes também o sou, por ser também apaixonado pela bola, e o “utópico controlo”…Porém, o jogo pertence a todas e quaisquer ideias. Assim, todas elas podem sair vencedoras. Ontem, passou uma equipa aos quartos de final: o Atlético de Madrid de Diego Simeone, com uma vitória em Anfield, frente ao actual campeão Europeu. Com duas vitórias no bolso.

Coisa pouca ou pura sorte…Não é nem pode ser. Feio ou bonito? Deixamos essa dualidade de escolha para o leitor. Fica a passagem aos quartos, mesmo contra a uma quase totalidade dos adeptos que ontem assistiam ao jogo. Rendimento é, acima de tudo, ganhar. No caso Liga dos Campeões…Passar eliminatórias! Simeone e o Atlético nos quartos de final.