Menu Close

As novas dinâmicas do Eintracht Frankfurt com Djibril Sow

A equipa do Eintracht Frankfurt sob o comando de Adi Hütter foi na época passada uma das equipas sensação na Alemanha e também na Liga Europa. Munida de um trio de ataque composta por Haller, Luka Jovic e Rebic servidos maioritariamente através de um jogo mais directo privilegiando a grande capacidade física dos atacantes da formação alemã. No entanto esta temporada a equipa viu estes 3 atacantes na porta de saída e mesmo com as entradas de André Silva, Bas Dost e a promoção de Gonçalo Paciência a equipa sente a falta do trio da época passada. Para tentar resolver este problema Hütter teve de alterar algumas dinâmicas da equipa e aqui a entrada de Djibril Sow tem sido a chave desta mudança.

Djibril Sow é um médio internacional suíço natural de Zurique e esta época foi recrutado Young Boys onde o jovem de 22 anos foi um dos destaques não só da equipa, mas também do seu campeonato. Sow chega ao Eintracht com 3 golos marcados e 6 assistências. A nível internacional conta com 4 presenças na equipa principal da Suíça.

Este é um médio centro muito completo, pode actuar como médio centro ou até médio ofensivo, próximo dos atacantes. Sow é dotado de uma boa capacidade de passe com 84% de acerto e também se sente confortável no drible, com 67% de sucesso nestas acções. Mas não é só no capítulo ofensivo que Sow se destaque, também é muito agressivo no momento defensivo e dá uso à sua velocidade e agilidade para chegar ao desarme, onde tem 72% de sucesso e também consegue interceptar muitos passes com uma média de 4.6 recuperações de bola por jogo.

O que oferece de novo ao Eintracht Frankfurt?

Começando logo pela organização ofensiva da equipa e aqui depende do posicionamento dado a Sow, já que o Eintracht dentro do seu sistema predilecto, o 3x5x2 pode moldar a sua linha média conforme o adversário, por vezes optando por jogar com apenas 1 pivot e com 2 médios mais adiantados ou num sistema de duplo pivot e um médio mais atacante no apoio directo ao ataque. Como se sabe o Eintracht na época passada raramente utilizava os seus médios como opções na fase de construção, optando pelos centrais, principalmente Hasebe procurar logo os avançados através do passe longo ou procurava a profundidade dada pelos alas nos flancos. Agora com Sow na equipa vemos o médio suíço a procurar participar nesta fase, principalmente quando actua como médio centro num duplo pivot, é ele quem recua para vir buscar a bola aos defesas ou oferecer a linha de passe ao guarda-redes depois iniciando a construção, mostrando uma boa visão de jogo e a sua capacidade de passe curto ou longo. Em baixo fica um vídeo com exemplos deste momento.

Quando Sow actua mais adiantado no meio campo procura primariamente encontrar o espaço nas costas do adversário para receber a bola e progredir. Exemplo deste momento no vídeo em baixo.

Ou numa fase mais adiantada da construção, coloca-se mesmo linha dos avançados tornando-se mais uma opção de ataque como se pode ver no exemplo em baixo.

Sow é um jogador que consegue ter muita influência no ataque, dando uso à sua velocidade para conseguir atacar as costas dos defesas adversários ou através do passe para servir o atacante envolvendo-se em muitas jogadas de perigo ou até de golo, como exemplificado em baixo.

A nível defensivo é um jogador, como já dito, muito agressivo, fazendo uso da sua velocidade e agilidade para acompanhar e desarmar os seus oponentes ou então para conseguir chegar e cortar linhas de passe, recuperando a bola para a sua equipa. Exemplos no vídeo em baixo.

Tem ainda algum espaço para melhorar, nomeadamente no capitulo do remate parece um médio inofensivo tendo poucos golos mesmo para quem aparece tantas vezes no último terço e onde consegue jogar bem em prol do colectivo, mas pode-se tornar num médio ainda mais completo e perigoso na manobra ofensiva quando melhorar neste capitulo, principalmente na meia distância e assim Sow estaria munido de muitas soluções para si e para a equipa.