Menu Close

Terminou o sonho português na Europa

FC Porto vs Bayer Leverkusen

O Futebol Clube do Porto recebeu o Bayer Leverkusen com uma desvantagem de 2-1 trazida do jogo da 1.ª mão na Alemanha. Sérgio Conceição apostou numa estrutura de 4-4-2, mas que no 1.º momento defensivo se transformava claramente num 4-3-3 com Otávio entre Marega e Zé Luís com o objetivo de condicionar a saída a 3 da equipa alemã. Esta situação de igualdade numérica acabou por ser facilmente ultrapassada pelo Bayer através de ligações por fora, com Lars Bender e Daley Sinkgraven, permitindo depois situações de 2×1 com movimentos interiores de Diaby e Havertz. (1)

Com o golo da equipa alemã no início de jogo e as dificuldades do FC Porto para alterar o rumo dos acontecimentos, Sérgio Conceição optou por ao intervalo substituir Mateus Uribe por Pepe, passando a uma estrutura de 3 defesas e projetando Corona e Alex Telles. Esta opção acabou por trazer mais dissabores do que vantagens para a equipa portuguesa, visto que permitiu ao Bayer Leverkusen explorar o espaço nos corredores laterais, o que associado a alguma dificuldade do FC Porto em controlar a sua profundidade, levou a situações de transição ofensiva da equipa alemã com a linha defensiva do FC Porto muito exposta. (2 e 3)

SC Braga vs Rangers

Os bracarenses foram eliminados após perderem ambos os jogos frente aos escoceses. Apesar do aparente domínio do jogo por parte do SC Braga (terminou com 69% de posse de bola), nunca foram realmente capazes de ameaçar a baliza adversária e criar oportunidades suficientes para marcar. Das poucas vezes que a equipa de Rúben Amorim conseguiu criar algum perigo, foram predominantemente situações que surgiram na sequência de lances de bola parada.

Em jogo corrido, foi de facto uma tarde menos conseguida por parte do SC Braga e muito se deveu à forma como o Rangers conseguiu condicionar o habitual forte jogo interior dos minhotos. Partindo de um 4-3-3, a equipa de Steven Gerrard fechou muito bem as linhas de passe para o corredor central (Fransérgio, Palhinha, Trincão e Horta), condicionando o jogo para os alas Esgaio e Sequeira. Desta forma, a chegada do SC Braga ao último terço foi maioritariamente por estas zonas, ficando muitas das vezes limitada às combinações Esgaio-Trincão e Sequeira-Horta.

O momento que abordamos é o único golo do jogo, apontado por Ryan Kent. Surge na sequência de um livre lateral (lado direito) cobrado por Sequeira e, devido ao posicionamento dos jogadores do SC Braga neste lance de bola parada, ao voltar a entrar em momento de posse de bola, o posicionamento de Sequeira e Viana ficou invertido.

No momento seguinte, após tentativa de entrada em zonas de criação pelo corredor central, devido à forte aglomeração de jogadores do Rangers nesta zona, a equipa de Rúben Amorim perde bola e não consegue rapidamente condicionar a transição dos escoceses.

No momento do último passe, e possivelmente pela falta de habituação de Sequeira a esta posição e a ocupar estas zonas do terreno, este não é suficientemente rápido a reagir ao momento de perda de bola e, não encurtando a distância para David Carmo (que também não foi capaz de controlar o espaço nas suas costas), criou-se uma via aberta para Ryan Kent se isolar e dar a vitória à equipa de Steven Gerrard.

SL Benfica vs Shakhtar Donetsk

O Benfica não foi para além de um empate no estádio da Luz, na segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa. Os encarnados estiveram na frente da eliminatória por duas vezes, mas deixaram se sempre empatar, acabando mesmo por perder no resultado agregado.

Benfica entrou a todo o gás, com uma intensidade raramente vista nos últimos jogos. Definiu bem a zona de pressão e não deixou o Shakhtar respirar. Com vários jogadores entre linhas conseguiu criar dinâmicas ofensivas que permitiram chegar à baliza contrária com perigo. A construção a três com Weigl entre os centrais e Taraabt mais à frente foi novidade e permitiu os laterais subirem com mais segurança. A transição defensiva esteve afinada em grande parte do jogo, mas os erros individuais e uma má ocupação dos espaços defensivos potenciaram situações de finalização aos ucranianos.

No lance do primeiro golo do Benfica é visível essa construção a três. Pizzi é um dos vértices que a equipa formou naquela zona ofensiva, e após receber a bola abre o jogo em Grimaldo. Volta a colocar-se entre linhas, mais especificamente entre a pressão do Shakhtar. Recebeu a bola sozinho, com tempo e espaço para analisar e definir a jogada. Acaba fazendo uma boa progressão com bola e executando com um excelente gesto técnico.

Istanbul Basaksehir vs Sporting CP

O Sporting entrou na segunda parte com a eliminatória numa situação muito complicada mas conseguiu recuperar no marcador e ter a passagem nas duas mãos. A entrada de Gonzalo Plata aos 60 minutos foi determinante para mexer com a partida. Os leões passaram a ter mais velocidade e irreverência no jogo, perante uma equipa com dificuldades no processo defensivo e muito vulnerável sem bola. o conjunto orientado por Jorge Silas assumiu a iniciativa, subiu o seu bloco e criou oportunidades.

Através de Wendel e Vietto, os leões foram chegando com perigo à baliza contrária e chegaram mesmo a reduzir o resultado para 2-1 por intermédio da dupla argentina com Acuña a cruzar e Vietto a cabecear entre os centrais, livre de marcação e a aparecer bem no espaço.

Depois do golo, Silas procurou fechar a equipa com a entrada de Doumbia e conseguiu controlar o meio campo. O Sporting esteve perto de fazer o 2-2 e sentenciar a eliminatória. Faltou discernimento e controlo emocional nos instantes finais para segurar a posse de bola, quebrar o ritmo da partida e jogar com o relógio. Foram vários os lances de superioridade numérica que os leões não souberam aproveitar. Neste lance, Battaglia e Doumbia os dois médios de contenção em zona de finalização e a equipa com dificuldades em recuperar posição e no momento de transição defensiva a ficar muito exposta. Os turcos chegaram mesmo ao golo que levou ao empata da eliminatória e consequentemente ao prolongamento onde depois fizeram o 4-1 final e ditaram a passagem aos oitavos de final.