Menu Fermer

Liga BPI: Albergaria x Sporting

No passado fim-de-semana ocorreu o encontro entre o Albergaria e o Sporting a contar para a 9ª jornada com campeonato. Esperava-se um Sporting mais forte e a querer dominar o jogo desde o minuto inicial.

A equipa da casa apresentou-se num 4x3x3 com Diana Oliveira na baliza, Sara Santos, Juliana Santos, Patrícia Sousa e Patrícia Sá na defesa, Patrícia Oliveira, Joana Baptista e Rita Coutinho no meio-campo, a frente era composta por Júlia Mateus, Ana Chegancas e Noémia Baptista.  O Sporting apresentou-se também com um 4x3x3 com Patrícia Morais na baliza, defesa composta por Wibke Meister, Nevena, Carole Costa e Ana Borges, meio-campo com Tatiana Pinto, Rita Fontemanha e Joana Martins, no trio de ataque estava Raquel Fernandes, Diana Silva e Hannah Wilkinson.

Em termos de processo ofensivo o Albergaria procurava jogar mais em transições rápidas explorando o momento de perda da bola das suas adversárias e aproveitando o espaço nas costas da defesa adversária. Nestas transições conseguiam chegar perto da baliza adversária sempre com 3/4 jogadoras a ocuparem as zonas de finalização. Em saída de bola da baliza optavam por sair a jogar longo muito por causa da pressão alta feita pelo Sporting.

No processo defensivo foram durante todo o jogo um bloco bastante coeso e que criou muitas dificuldades ao oponente (figura 1). Defendiam com 3 linhas de pressão e às vezes com 4 quando as duas extremas baixavam para o meio-campo. Jogavam com o bloco médio e tentavam sempre condicionar o jogo adversário ao máximo.

Figura 1

O Sporting, entrou no jogo para tentar controlar desde início, no entanto mostrou-se com muitas dificuldades no último terço do campo, não conseguindo criar muitas oportunidades de finalização. Procuravam sempre sair a jogar desde trás, com as laterais sempre subidas no terreno a dar largura ao seu jogo e a sua pivô defensiva a juntar-se as centrais para saírem em linha de 3. Procuravam quase sempre atacar pelo lado direito com Ana Borges e Diana Silva e tentarem desequilibrar quer em combinações quer em situações de 1×1. Mostraram algumas dificuldades no jogo interior, não conseguindo ultrapassar muitas vezes o bloco da equipa da casa.

Em termos defensivos optaram sempre um bloco alto e pressionante (figura 2), condicionando a saída do adversário, mas ao mesmo tempo controlando o espaço nas costas da sua defesa. Tinham uma boa reação à perda da bola logo com uma jogadora a pressionar o portador da bola. Defendiam com 3 linhas de pressão bem definidas, com as 3 jogadoras do ataque a terem um trabalho fundamental na pressão e as jogadoras do meio-campo a fazerem constantemente coberturas umas às outras.

Figura 2

Foi uma partida equilibrada onde o Albergaria acabou por marcar primeiro através de um canto perto dos 29 minutos através de Juliana Santos. A resposta do Sporting veio passado pouco tempo com Raquel Fernandes a fazer um bom golo através de um remate na área.

Na segunda parte a equipa visitante entrou mais pressionante, mas com o Albergaria sempre com uma resposta positiva e uma atitude de luta dentro de campo incrível. O Sporting acabaria por chegar ao golo que lhe daria os 3 pontos através de Carolina Mendes perto do minuto 78.  Uma vitória difícil de conquistar com a equipa da casa a pensar que poderia ter conquistado um ponto neste jogo.