Menu Fermer

Sporting CP de Jorge Silas CamaLEÃO Tático – Sistemas e Dinâmicas

Na altura em que foi apontado ao comando técnico do Sporting CP, logo numa das suas primeiras conferências de imprensa, foi possível ouvir Jorge Silas referir que pretende instaurar um modelo de jogo “arriscado e arrojado” na equipa leonina, e principalmente, que este não se prende apenas num único sistema de jogo.

De facto, o novo treinador leonino, já utilizou cinco sistemas táticos diferentes desde que assumiu funções: o 4x4x2 e a sua variante em losango, o 4x3x3, e nos jogos mais recentes o 3x5x2 e o 4x2x3x1 (que poderá se estabelecer como o sistema preferencial no futuro próximo). 

O 4x2x3x1 de Jorge Silas

Apesar do nível exibicional do Sporting CP não estar a revelar a regularidade pretendida, algumas dinâmicas criadas (com movimentos padrão bem definidos), mostram alguma da identidade que o treinador leonino pretende implantar na equipa.

Independentemente do sistema tático, podemos ver a intenção do Sporting tentar construir curto desde trás, com os laterais projetados, e vários jogadores entre as linhas do adversário (principalmente os que podem fazer a diferença no último terço – Vietto e Bruno Fernandes).

Contra o Paços de Ferreira (em 4x2x3x1) – VIetto e Bruno Fernandes “entre-linhas”

A largura é maioritariamente oferecida pelos laterais. com os médios ala a jogarem por dentro, no corredor central (principalmente Vietto).

Outra dinâmica que se assume como um padrão na primeira e segunda etapa de construção, é o baixar e abrir por parte de um pivot defensivo, quase para a zona do lateral, de forma a receber de frente para o jogo e poder ligar com a zona de criação (onde os jogadores se posicionam entre-linhas).

Pivot Defensivo Aberto na construção
Extremos por dentro – largura a ser oferecida pelos laterais
Pivot Defensivo Aberto na construção
Extremos por dentro – largura a ser oferecida pelos laterais

Os problemas que o Sporting CP deverá corrigir num futuro próximo, independentemente do sistema tático em que o seu treinador monte a equipa, passam por consolidar os movimentos de apoio/profundidade entre os seus jogadores, de forma a existirem movimentos de “arrasto” da linha defensiva (com movimentos de ataque ao espaço), que por sua vez vão criar espaço para Vietto e Bruno Fernandes desequilibrarem. No aspecto mais técnico, é necessário a coragem para o passe que quebra as linhas adversárias, aspecto no qual jogadores como Jérémy Mathieu e Eduardo podem ter um importante papel na construção de ações ofensivas por parte da equipa leonina.