Melhor XI Série B Brasil 2017

Melhor XI Série B Brasil 2017

Com base nos índices do InStat, analisamos o melhor onze da Série B do Brasileirão 2017.

 

Fernando Leal – 36 anos – América MG

O guarda-redes brasileiro fez 6 jogos no campeão América MG onde sofreu 3 golos. A sua experiência foi fundamental para a conquista histórica do clube de Minas Gerais. Trata-se de um guardião seguro e com uma forte capacidade nas saídas e na defesa de bolas paradas. Como ponto menos forte tem o jogo de pés e o encaixe.

Depois da campanha na Série B, vai continuar a jogar no Mirassol da Série D do Brasil. Um regresso a uma casa que conhece bem, representando o clube de São Paulo em 2012.

 

Cláudio Winck – 23 anos – Internacional

O defesa direito do Internacional alinhou em 22 partidas e apontou 3 golos na Série B. Foi uma das peças chave do 2º lugar do clube de Porto Alegre. Um lateral jovem, rápido, com uma elevada capacidade técnica e facilidade de remate.

Precisa de melhorar a eficácia a nível de cruzamentos mas ainda tem muito espaço para crescer, especialmente depois de uma época de grande regularidade na Série B. Pode ter ganho o seu estatuto como titular do Internacional no Brasileirão que começa em Abril.

 

Iago Maidana – 22 anos – Atlético MG

Os 26 jogos e 5 golos pelo Paraná valeram novo empréstimo ao jovem central brasileiro. Desta vez a sua qualidade vez com que ganhasse espaço numa equipa do Brasileirão. O Américo MG é a equipa que poderá beneficiar de Maidana na época de 2018.

Um central com excelentes índices físicos, forte nas bolas paradas e no desarme. Precisa de melhorar ao nível da velocidade e agilidade mas compensa com o seu posicionamento e leitura táctica. Maidana tem uma prova de grande exigência no Atlético MG. Se conseguir agarrar a oportunidade pode mostrar o seu potencial e ganhar espaço na Série A para um dia voltar ao seu clube de origem, São Paulo.

 

Eduardo Brock – 26 anos – Goiás

Brock foi um dos pilares defensivos do Paraná, terceira defesa menos batida da Série B com apenas 28 golos sofridos. Fez 57 jogos em 2017 e marcou 2 golos.

Sabe ler o jogo e apresenta um excelente posicionamento dentro do campo. Gosta de sair a jogar quando recupera a posse de bola e é forte no desarme e jogo aéreo. Precisa de melhorar a reacção à perda e índices físicos como a velocidade e agilidade. Apesar da sua consistência em 2o17, vai continuar na Série B mas desta vez a defender as cores do Goiás.

 

Uendel – 29 anos – Internacional

Os 60 jogos em 2017 pelo Internacional demonstram bem a importância de Uendel no clube de Porto Alegre. Um lateral esquerdo muito ofensivo que gosta de subir e cruzar. Tem uma boa capacidade de passe e é um jogador evoluído tecnicamente.

Por ser um defesa de cariz ofensiva, deixa muito espaço na capítulo defensivo. Isso faz com que o posicionamento defensivo não seja um ponto forte, assim como o timing de desarme. Uendel continuará a representar o Internacional em 2018 mas desta vez no Brasileirão.

 

Rodrigo Dourado – 23 anos – Internacional

O jovem médio do Internacional alinhou em 55 partidas e marcou por 4 ocasiões. Aos 23 anos, Dourado já é uma certeza no futebol brasileiro. Apesar de ser ainda um jovem jogador, demonstra em campo uma grande maturidade. Trata a bola como poucos mas consegue aliar a sua qualidade técnica com capacidade de desarme.

Não é um jogador muito intenso na disputa de bolas, o que nem não significa que isso seja um ponto menos forte para este jovem médio defensivo. Consegue compensar a falta de velocidade e intensidade com uma cultura táctica e posicionamento acima da média. Rodrigo Dourado vai continuar a brilhar no Internacional em 2018 mas desta vez na Série A.

 

Ernandes – 30 anos – Ceará

Depois de uma excelente campanha ao serviço do América MG com 45 jogos e 2 golos, Ernandes está de volta ao Brasileirão mas para representar o Ceará. O experiente médio centro ou volante também pode actuar como lateral esquerdo mas foi no meio campo que se destacou na época de 2017.

Ernandes é um médio rápido, evoluído tecnicamente mas também com uma boa capacidade de desarme. As constantes subidas pelo corredor central, mais descaído para a esquerda, por vezes permite que as equipas contrárias explorem esse espaço no momento de transição ofensiva, aproveitando as suas falhas posicionais.

 

Andrés D’Alessandro – 36 anos – Internacional

O craque argentino continua a espalhar qualidade pelos relvados brasileiros. D’Alessandro aso 36 anos é o capitão do Internacional e uma peça chave na manobra ofensiva do clube de Porto Alegre.

Já não tem a mesma velocidade e consistência do que tinha no seu auge mas a sua qualidade técnica continua bem presente e isso faz a diferença num campeonato como é o caso da Série B. Alinhou em 52 jogos e apontou 8 golos no ano passado! Números impressionantes para os 36 anos do médio ofensivo.

 

William Pottker – 24 anos – Internacional

32 jogos e 10 golos pelo Internacional, mais 20 jogos e 10 golos pelo Ponte Preta. Este é o registo de 2017 de um dos extremos mais rápidos e evoluídos tecnicamente do futebol brasileiro. Pottker é um jogador irreverente que gosta de partir para cima dos adversários em constantes dribles.

O esquerdino que actuou maioritariamente do lado direito do ataque, procura muitas vezes os movimentos interiores para aparecer a finalizar. Não apresenta pontos a melhorar e com 24 anos ainda promete ser uma das principais figuras do Brasileirão de 2018.

 

Vinicius Lima – 21 anos – Grêmio

22 jogos e 5 golos em 2017 pelo Ceará bastaram para convencerem os responsáveis do Grêmio a darem uma nova oportunidade ao extremo brasileiro formado no clube. Lima é um jogador rápido, irreverente e com grande qualidade técnica.

Precisa de crescer a nível de maturidade, critério de decisões e posicionamento. Se conseguir dar esse salto qualitativo podemos assistir à afirmação de um excelente valor do futebol brasileiro. No Grêmio não vai ter vida fácil pelo nível competitivo mas para já tem sido opção na equipa orientada por Renato Portaluppi.

 

Leandro Damião – 28 anos – Internacional

Depois de um início de 2017 mais apagado no Flamengo, Leandro Damião não hesitou em voltar a uma casa onde já foi feliz. Deixou o Brasileirão para alinhar com regularidade na Série B. No Internacional fez 8 golos em 17 partidas, tantos golos como nas 23 partidas pelo Flamengo mas longe de ter o estatuto de titular absoluto como tem no clube de Porto Alegre.

Continua a ser dos melhores avançados brasileiros da actualidade. Finalização como poucos com os pés e com a cabeça. É forte no jogo aéreo e sabe sempre onde se deve posicionar. Não apresenta pontos a melhorar e se estiver num ambiente competitivo favorável pode vir a ser uma das estrelas do Brasileirão 2018.

Sobre o Autor

Francisco Gomes da Silva

Nasceu pouco tempo antes do Verão Quente de 1993 e hoje com 25 anos é licenciado em Economia e apaixonado por Futebol. Um campo, uma bola e 22 jogadores, uma paixão que despertou bem cedo na sua vida. Jogou até aos 19 anos, seguindo-se passagens como treinador-adjunto no Grupo Desportivo Alcochetense, colaborador da Revista Futebolista e outros sites. É observador no Departamento de Prospeção do Benfica desde 2012.

Artigos relacionados