Nikola Maras

Nikola Maras

Nikola Maras é hoje um dos destaques da Liga NOS 2017/2018 e um dos jogadores com maior cartel no principal escalão do futebol português. O jovem natural de Belgrado passou pela formação do Partizan mas foi noutro clube da cidade, o FK Rad, ao qual chegou com 14 anos, que despontou. Estreou-se na primeira equipa com 17 anos pela mão de Nebojša Petrović e aos 18 já era indiscutível.

109 jogos (e 7 golos) depois, era hora de um novo desafio. Partizan e Estrela Vermelha bem tentaram, mas o FK Rad acabou por não vender o jovem, campeão mundial de sub-20 em 2015, aos rivais da cidade. A troco de uma soma a rondar os 400 mil euros, Maras viria a ser, mesmo no fecho do mercado de transferências, o tão desejado reforço pedido por Luís Castro para estabilizar a linha defensiva flaviense que tantos sinais negativos estava a deixar.

Indiscutível (26 jogos, 1 golo) desde que chegou às margens do Tâmega, Maras encontrou no clube e na forma de jogar tão atrativa do treinador português, a plataforma de lançamento rumo a voos mais altos e até quem sabe uma presença no Mundial 2018. Interessados não faltam e o jovem internacional sérvio promete um encaixe sensível para as contas dos flavienses no final da temporada.

A temporada de Maras tem sido impressionante. Totalista desde que chegou, Maras é hoje peça fulcral não só da manobra defensiva mas também da manobra ofensiva do Chaves. Dono de uma capacidade de desarme acima da média, consegue ser igualmente muito forte na ação de contenção, o que lhe permite acrescentar qualidade ao desarme. Como é igualmente bem-dotado a nível técnico, consegue desenvolver uma saída de bola de enorme relevância para o jogo do Chaves, sendo também muito forte no capítulo do passe, seja curto, o mais utilizado em Chaves, seja longo, como fazia com grande qualidade no FK Rad.

Sendo um protótipo do central moderno (alto, relativamente rápido e com técnica), Maras consegue juntar a isso capacidade na bola parada, mais defensiva que ofensiva. Talvez precise de trabalhar um pouco mais nesse tipo de lances para ser mais efetivo do lado contrário à sua baliza, pois a sua capacidade de impulsão e potência de cabeceamento devem resultar em mais golos.

Maras tem também demonstrado alguns lapsos de concentração. Perde algumas vezes a noção do espaço e do adversário levando-o a cometer alguns erros facilmente evitáveis. É ainda novo e está em fase de maturação, portanto tem tudo para corrigir estas falhas de forma satisfatória.

Apontado já hoje na Sérvia como o melhor defesa central do país, Nikola Maras parece ter tudo para ser o sucessor de Nemanja Vidic, na alta roda do futebol mundial. Os 6M€ da cláusula de rescisão poderão, a curto prazo, parecer pouco para o valor que o central sérvio pode atingir.

 

Sobre o Autor

Luís Cardoso

Formado em Gestão, desenvolveu desde cedo o gosto pelo desporto, em geral, e pelo futebol, em particular. Apaixonado pela vertente tática do jogo, já esteve dentro e fora do campo. Define-se pela procura constante de mais e melhor conhecimento sobre o jogo, para o moldar e adaptar ao seu próprio entendimento. Pretende enriquecer o seu currículo académico quer em áreas ligadas ao jogo quer ligadas à gestão do mesmo.

Artigos relacionados