Presnel Kimpembe

Presnel Kimpembe

Nasceu nos arredores de Paris, um dos mais interessantes centrais do futebol mundial, o jovem franco-congolês do Paris Saint-Germain, Presnel Kimpembe.

Filho de um congolês e de uma haitiana, Kimpembe começou a sua carreira aos 7 anos no AS Eragny, clube modesto, também ele dos arredores de Paris. Foi aí que, em 2005, o PSG o encontrou. E, desde então, nunca mais saiu. Passou de lateral esquerdo a central, escalou todos os patamares da formação com sucesso e estreou-se pela equipa principal em Outubro de 2014, num jogo frente ao RC Lens.

De 4º central na época 2015/2016, a titular firme em 2017/2018, o caminho de Kimpembe não foi fácil. A disputa por um lugar com jogadores como Thiago Silva, Marquinhos, David Luiz foi complicada. Apenas 4 jogos na Liga dos Campeões nas duas últimas duas épocas, atestam isso. Na Ligue 1, a conversa é outra e Kimpembe leva 22 presenças em 31 jogos na época em curso.

Aos 22 anos, Kimpembe coleciona títulos. 2x campeão nacional, 2x vencedor da Taça de França, 2x vencedor da Taça da Liga Francesa e 2x vencedor da Supertaça de França. Somou ainda uma vitória no Torneio de Toulon pela França, em 2015. Isto depois de ter recusado uma chamada à seleção nacional A da República Democrática do Congo. Presença habitual desde então nas seleções jovens de França, já foi sido chamado à seleção A por Didier Deschamps mas ainda não se estreou. A sua presença no Mundial da Rússia é, hoje, uma forte possibilidade.

Como se diz na gíria, o jovem Kimpembe é um “defesa que joga a bola” (ball playing defender). Com muita qualidade na saída de bola, Kimpembe é conhecido pela capacidade de passe, seja curto ou longo, tendo uma percentagem de sucesso na ordem dos 95%. Logo ter a bola nos pés não é um problema para ele, sendo um central tecnicamente evoluído. É um defesa central que, apesar de não ser muito alto, é bastante forte fisicamente. Outra das características mais interessantes que possui, é a sua rapidez. É raríssimo ser batido em velocidade, pois usa quer o seu físico quer a sua mobilidade a seu favor.

Juntar rapidez, força física e capacidade com bola num só central é raro. Ser igualmente forte no desarme, na marcação, no posicionamento e na antecipação, transforma Kimpembe num diamante em bruto pronto a ser polido. A antecipação, quando usada em conjunto com o desarme, é altamente efetiva. É muito complicado de “derrotar” em situações de 1 vs 1, porque tem múltiplos recursos para conseguir controlar os adversários. Tem um sentido posicional fantástico, sendo muito forte a “ler o jogo”. Ao nível da marcação, fica na retina a estreia europeia na época passada frente ao poderoso FC Barcelona, onde ficou com a difícil tarefa de marcar Lionel Messi. Resultado final: PSG 4-0 Barcelona e Messi passou ao lado do jogo. Palavras para quê?

Kimpembe não é perfeito, no entanto. Este não é um jogador hábil com os dois pés. Apesar de ter uma característica rara para a posição, por ser esquerdino, o seu pé direito é fraco. Tal obriga o jovem francês a usar maioritariamente o pé esquerdo para as suas ações. O seu jogo aéreo é também um ponto negativo, visto ter algumas dificuldades com os timings mais corretos para efetuar o seu cabeceamento nas melhores condições.

Presnel Kimpembe é hoje uma das figuras emergentes do endinheirado Paris Saint-Germain, sendo a prova cabal que não é preciso estar sempre a gastar dezenas de milhões para obter jogadores de qualidade. Às vezes, basta dar uma oportunidade a um jovem da formação.

Sobre o Autor

Luís Cardoso

Formado em Gestão, desenvolveu desde cedo o gosto pelo desporto, em geral, e pelo futebol, em particular. Apaixonado pela vertente tática do jogo, já esteve dentro e fora do campo. Define-se pela procura constante de mais e melhor conhecimento sobre o jogo, para o moldar e adaptar ao seu próprio entendimento. Pretende enriquecer o seu currículo académico quer em áreas ligadas ao jogo quer ligadas à gestão do mesmo.

Artigos relacionados