Raio X Táctico: Galatasaray

Raio X Táctico: Galatasaray

Com o regresso das competições europeias, chega a hora da estreia do Benfica na Liga Europa desta temporada, após uma prestação aquém das expectactivas na Liga dos Campeões. Curiosamente, também o Galatasaray chega a esta fase da prova vindo da fase de grupos da competição milionária. Após inícios de época algo atribulados, ambas as equipas estão neste momento em crescimento, estando o Benfica a viver a melhor fase de época, após a entrada de Bruno Lage. Já o Galatasaray, está sem perder há 10 jogos oficiais, tendo a última derrota sido registada frente ao FC Porto, em Istambul.

Recentemente, no mercado de Inverno, a equipa turca esteve bastante ativa, perdendo algumas peças importantes e fazendo chegar outras, em relação à equipa que defrontou o FC Porto na fase de grupos da Liga dos Campeões.

SAÍDAS: Ozan Kabak (Defesa Central); Garry Rodrigues (Extremo); Maicon (Defesa Central)

ENTRADAS: Mbaye Diagne (Ponta de Lança); Marcão (Defesa Central); Christian Luyindama (Defesa Central); Kostas Mitroglou (Ponta de Lança) – indisponível

11 PROVÁVEL

ORGANIZAÇÃO OFENSIVA

  • Laterais projetados e próximos de zona de cruzamento.
  • Médios a baixar próximo dos centrais para assumir a construção.
  • Extremos a variar entre movimentos de apoio entre linhas e ataques à profundidade.
  • Criação de situações de 1vs1 para cruzar.
  • Ponta de lança (Diagne) como solução para jogo direto.

TRANSIÇÃO DEFENSIVA

  • Pressão rápida no meio campo ofensivo após perda de bola.
  • Dificuldade em oferecer coberturas a quem pressiona.
  • Defesas centrais muito expostos às transições rápidas.

ORGANIZAÇÃO DEFENSIVA

  • Muito espaço entre linha defensiva e linha média.
  • Dificuldade da linha defensiva em controlar profundidade.
  • Muito espaço à entrada da área para finalização ou entradas por esta zona.
  • Jogadores mais ofensivos muito pouco colaborantes.

TRANSIÇÃO OFENSIVA

  • Solicitam imediatamente jogadores mais avançados, principalmente os extremos que são rápidos.
  • Ponta de lança (Diagne) é solução para saída mais longa.
  • Médios interiores rapidamente aparecem próximo de zonas finalização.

BOLAS PARADAS OFENSIVAS

  • Vários jogadores fortes no jogo aéreo.
  • Livres/cantos são geralmente bem cobrados.
  • Possibilidade de canto curto atrasado.

BOLAS PARADAS DEFENSIVAS

  • Cantos: Marcação mista, com pouca proteção à zona do 2º poste.
  • Facilidade em desmontar a organização do Galatasaray através de cantos/livres curtos.
  • Vários jogadores fortes e agressivos no jogo aéreo.

JOGADORES A TER EM CONTA…

  • Badou Ndiaye | Médio Interior | nº17: Médio agressivo e com grande capacidade de queimar linhas em condução.
  • Henry Onyekuru | Extremo Esquerdo | nº21: Muito rápido e irreverente. Procura muito situações de 1vs1.
  • Mbaye Diagne | Ponta de Lança | nº91: Fortíssimo no jogo aéreo e com faro para o golo. Na atual temporada, conta com uns impressionantes 21 golos em 20 jogos.

O BENFICA DEVE…

  • Procurar os espaços entre linhas para chegar ao último terço.
  • Controlar as transições rápidas do Galatasaray.
  • Ser organizado e agressivo nas bolas paradas defensivas, dado o poderio do adversário nos duelos aéreos.

Posto isto, embora o Galatasaray apresente, individualmente, mais valias com capacidade para desequilibrar o jogo a qualquer momento, dá a ideia que é um adversário perfeitamente acessível aos encarnados, tendo principalmente em conta o momento atual do Benfica.

Sobre o Autor

Diogo Silva

23 anos. Jogou futebol federado dos 11 aos 20 anos, tendo então iniciado como treinador numa academia (5 aos 9 anos). Passou pelos juniores do SC Salgueiros como treinador adjunto. Atualmente, é treinador adjunto dos seniores do AC Milheirós (AFPorto) e observador dos sub19 do SC Beira-Mar.

Artigos relacionados