Menu Fechar

Raúl de Tomás: O novo artilheiro da Luz

O Benfica, depois de extensas e complicadas negociações, conseguiu assegurar os serviços do número 9 (ex-Rayo Vallecano, por empréstimo do Real Madrid) para atacar a época 2019/20. O avançado madrileno, de origens dominicanas, chegou ao campeonato português para se destacar como um dos melhores concretizadores da competição e fazer concorrência direta ao seu novo companheiro de equipa, Haris Seferovic. Em 2010/11 começou o seu percurso na La Fabrica (Academia do Real Madrid) pela equipa de juvenis, mas nunca se conseguiu fixar no gigante espanhol, somando empréstimos atrás de empréstimos nestes últimos anos. Por fim, chega ao campeão português para se afirmar aos olhos da Europa, com a grande expectativa de jogar também ele a Liga dos Campeões. O que pode então oferecer R.D.T. (nome que utiliza na sua camisola) ao Benfica, para que estes tenham investido cerca de 20 milhões de euros na sua contratação?

Ora bem, Raúl é um número 9 puro, procura a bola em zonas entre linhas, mas destaca-se essencialmente pela extrema facilidade a finalizar. Demonstra grande entendimento com os colegas nas dinâmicas de transição ofensiva: com bola serve muito bem os extremos em largura e velocidade; sem bola procura oferecer profundidade à equipa, pedindo passes em desmarcação. O seu estilo de ponta de lança é muito desgastante para si e para os centrais adversários, uma vez que batalha por cada lance, seja no primeiro ou no último minuto de jogo. Apesar deste seu estilo combativo, não se pode considerar De Tomás um jogador incorreto ou agressivo, porque do ponto de vista disciplinar contou apenas com 5 amarelos em 2018/19.

Não é um jogador de quem se possam esperar grandes incursões rápidas e em drible, mas tem uma técnica de receção orientada que lhe permite ganhar vantagem em diversas situações. Procura também utilizar o seu remate de longa distância, mas não é algo que se possa definir como um grande atributo, porque peca na eficácia. Por outro lado, é extremamente combativo nos duelos aéreos e vai ser um reforço de peso nas bolas paradas ofensivas e defensivas da equipa encarnada.

A ilusão dos adeptos e principais críticos desportivos pelos golos que R.D.T. pode vir a fazer é muita, pelo que será com toda a certeza um jogador a ter em conta durante o decorrer da época. Em condições normais e ao que tudo indica com a continuidade na aposta do 4-4-2, será ele o principal candidato ao lugar mais adiantado do ataque. Tem tudo para mostrar o seu melhor futebol, numa equipa comandada por Bruno Lage, conhecido por procurar dinâmicas ofensivas que valorizam os jogadores do sector mais adiantado.