Menu Close

Concluída a Liga NOS, num ano atípico no futebol nacional e mundial dada a prolongada paragem. Neste report, apresentamos um onze com os principais destaques da Liga NOS, excluindo as equipas do Top4 (Porto, Benfica, Braga e Sporting), procurando dar também palco a jogadores que se evidenciaram e que alcançaram um excelente rendimento, ainda que fora da luta pelos lugares cimeiros.

O brasileiro de 29 anos foi um dos guarda-redes menos batidos na Liga NOS. A cumprir a sua segunda época no futebol português, esteve em claro destaque, ajudando o Boavista a cumprir o objetivo da manutenção. Encontra-se na idade ideal para o pico de forma enquanto guarda-redes.

Evidencia-se pela sua envergadura, sendo muito diferenciado neste fator. Trata-se de um guarda-redes seguro. Ainda que pouco vistoso nas suas intervenções, transmite muita segurança à equipa, contabilizando uma média de 3.4 defesas por jogo. Do ponto de vista ofensivo, consegue também contribuir para a equipa, pela capacidade de jogar com os pés e nomeadamente no passe longo, atributo em que tem uma percentagem de sucesso de 78%.

O lateral direito de 25 anos está no Vitória SC há 5 anos e cada vez mais se tem afirmado como peça fundamental na equipa. Conta com 12 internacionalizações pela seleção do Mali e tem sido apontado a vários clubes do futebol europeu, sendo um dos ativos mais valiosos do plantel vimaranense.

É um jogador que tem na velocidade uma arma crucial do seu jogo. Tem grande propensão ofensiva, muito devido à facilidade que tem em ultrapassar os adversários no 1×1 e chegar a zonas de cruzamento, tendo mesmo uma média de 3.9 cruzamentos por jogo. Defensivamente, embora revele algumas lacunas na forma como aborda os lances, geralmente consegue resolver as situações pela velocidade que possui, sendo um jogador difícil de superar, com uma percentagem de sucesso de 67% nos duelos defensivos.

Defesa central de 1.87m, já com várias épocas de elevado nível no principal patamar do futebol português. Após uma primeira experiência no estrangeiro (Rangers), regressou a Portugal para o Santa Clara, contribuindo para os bons desempenhos que o clube tem tido na Liga NOS.

É um jogador muito forte do ponto de vista defensivo, destacando-se pela capacidade que tem no jogo aéreo e pela agressividade e eficácia no desarme, com uma percentagem de sucesso de 70% nesta ação específica. É ainda rápido no controlo de profundidade e demonstra qualidade também com bola, acrescentando critério à construção de jogo da equipa. É um central com golo, tendo marcado por 8 vezes nas últimas duas épocas ao serviço do emblema dos Açores.

Apesar de muito jovem, o argentino teve um impacto imediato, afirmando-se como uma das grandes revelações desta época em Portugal. Foi chamado com elevada frequência às seleções jovens, tendo-se já estreado pela seleção principal. Aos 20 anos, o central emprestado pelo Atl. Madrid teve uma evolução tremenda e está já com uma elevada cotação no futebol europeu.

É um defesa central forte na construção de jogo, aliando uma boa capacidade de condução e de passe à inteligência que demonstra na leitura de jogo, com uma taxa de acerto de 87% no passe. No momento defensivo, embora não seja particularmente alto para a posição, a boa perceção que tem dos lances permite-lhe ser competente nos duelos aéreos, com uma percentagem de sucesso de 65%.

Após três épocas no Campeonato de Portugal, ao serviço do Mirandela, deu o salto direto para a Liga NOS, revelando-se como um dos bons valores a surgir na época 2019/2020. Marcou 1 golos e fez 2 assistências para o campeonato. É um jogador polivalente, podendo jogar em qualquer posição do corredor esquerdo.

Zaidu tem na capacidade física um pilar essencial do seu jogo. A velocidade que apresenta permite-lhe ser determinante no ataque, chegando com facilidade a zonas de cruzamento em boas condições de assistir para golo, tendo uma média de 3.3 cruzamentos por jogo. Este atributo também o favorece em ações defensivas, sendo eficaz no desarme (62%). É ainda um jogador bastante competitivo e com margem de progressão.

O médio de 22 anos emprestado pelo Valencia foi uma das grandes revelações do campeonato. Conta com mais de 30 internacionalizações pelas seleções jovens sérvias. Foi um dos jogadores mais utilizados da equipa de João Pedro Sousa e uma peça fundamental na boa campanha do recém-promovido Famalicão.

Trata-se de um jogador completo, conseguindo aliar a boa capacidade técnica que demonstra no passe e em progressão com bola, a uma grande facilidade que possui no jogo aéreo e nos duelos defensivos, muito devido à sua capacidade física. Prova disso são os 64% de sucesso no desarme e, por outro lado, a eficácia de 84% no passe, sendo um jogador capaz de contribuir nos diferentes momentos do jogo.

Aos 27 anos, o criativo português atingiu um nível competitivo muito acima da média. Tem alternado entre o SC Braga e empréstimos a outros clubes do principal patamar do futebol português, tendo realizado a melhor época no capítulo do golo, marcando por 12 ocasiões no percurso que culminou com o 6º lugar na Liga NOS.

É um jogador irreverente, claramente diferenciado pela iniciativa que tem em ações individuais. Possui uma excelente relação com bola que, associada à sua velocidade de deslocamento, lhe permite ter sucesso no 1×1, contabilizando uma média de 4.3 dribles por jogo. É também determinante no último terço pela qualidade no último passe, tendo somado 6 assistências e uma percentagem de acerto de 59% em passes-chave.

O extremo de 21 anos foi uma das melhores surpresas desta temporada. Chegou ao Vitória SC vindo do Tottenham, tendo-se rapidamente afirmado como um jogador de elevado potencial. Foi internacional jovem por Inglaterra por 49 ocasiões e, nesta época, demonstrou o porquê de lhe ser reconhecido esse talento e é um jogador em clara ascensão no futebol europeu.

Destaca-se pela capacidade que tem não só em ações individuais, mas também associando-se com os colegas no último terço, tendo assistido para golo por 9 vezes. A velocidade e excelente capacidade de jogar em espaços curtos oferecem-lhe capacidade no 1×1, contabilizando uma média de 8 dribles por jogo. Tem ainda uma boa relação com o golo, demonstrando uma grande facilidade em finalizar de várias formas e somou 7 golos na Liga NOS.

O extremo português de 25 anos tem-se vindo a afirmar como um dos jogadores mais determinantes no último terço na Liga NOS. Conta com 38 internacionalizações pelas seleções jovens, sendo que desde cedo foi um jogador identificado como de grande futuro. Foi preponderante na campanha que levou o Rio Ave ao 5º lugar e consequente qualificação para a Liga Europa, contribuindo com 2 golos e 6 assistências.

Evidencia-se pela capacidade em zonas de criação, tanto através do drible como pelo cruzamento, capítulo no qual tem uma média de 4.6 por jogo. Demonstra também qualidade na finalização, nomeadamente no remate exterior. Procura muitas das vezes assistir os colegas com o último passe, contabilizando uma média de 3 passes-chave por jogo.

Em ano de estreia no futebol europeu, Taremi terminou a época no topo dos melhores marcadores com 18 golos apontados. Soma 38 jogos e 15 golos pela seleção iraniana. Aos 28 anos, foi uma agradável surpresa na Liga NOS, sendo claramente um jogador que pode ambicionar outros voos e valer ao Rio Ave um bom encaixe financeiro.

É um ponta de lança com excelente sentido de golo, tranquilo no momento da finalização e com uma boa execução técnica no remate, apresentando uma percentagem de remates à baliza de 49%. Tem uma boa leitura dos espaços que deve atacar em zonas de finalização, conquistando com facilidade vantagem posicional sobre os adversários diretos. Com 1.87m, é ainda um jogador forte a segurar bola, com uma percentagem de duelos ganhos de 48%.

Após duas épocas ao serviço do Penafiel, o avançado de 27 anos ingressou no Moreirense, destacando-se como um dos melhores marcadores da Liga NOS, marcando por 13 ocasiões. Internacional angolano por 4 vezes, tendo apontado 1 golo. Foi determinante no campeonato tranquilo realizado pelo Moreirense, contribuindo com 31% dos golos da equipa.

Avançado completo, com elevada capacidade em zonas de finalização, tanto em situações de 1×1 com o GR, como no jogo aéreo após cruzamentos, com uma taxa de acerto de 47% na finalização. Tem ainda uma muito interessante capacidade física que o torna forte a segurar bolas longas e esperar pelo apoio dos colegas e em movimentos de ataque à profundidade, sendo um jogador difícil de travar em progressão com bola.