Resumo Taça Confederações

Resumo Taça Confederações

Análise às seleções em prova e os melhores jogadores da competição

Rússia:

Classificação: Fase de Grupos

Treinador: Stanislav Cherchesov

Tática: 3x1x4x2

Melhor 11: Igor Akinfeev; Georgiy Dzhikiya, Viktor Vasin, Fyodor Kudryashov; Denis Glushakov; Aleksandr Samedov, Aleksandr Golovin, Aleksandr Erokhin, Yuri Zhirkov; Fyodor Smolov, Dmitri Poloz

 

Nova Zelândia:

Classificação: Fase de Grupos

Treinador: Anthony Hudson

Tática: 3x1x4x2

Melhor 11: Stefan Marinović; Michael Boxall, Andrew Durante, Tommy Smith; Michael McGlinchey; Dane Ingham, Ryan Thomas, Clayton Lewis, Deklan Wynne; Marco Rojas, Chris Wood

 

México:

México: 4º lugar

Treinador: Juan Carlos Osorio

Tática: 4x1x4x1

Melhor 11: Guillermo Ochoa; Diego Reyes, Néstor Araujo, Héctor Moreno, Miguel Layún; Héctor Herrera; Carlos Vela, Jonathan dos Santos, Marco Fabián, Raúl Jiménez; Javier Hernández

 

Portugal:

Classificação: 3º lugar

Treinador: Fernando Santos

Tática: 4x1x3x2

Melhor 11: Rui Patrício; Cédric Soares, Bruno Alves, Pepe, Eliseu; William Carvalho; Bernardo Silva, Adrien Silva, André Gomes; Cristiano Ronaldo, André Silva

 

Camarões:

Classificação: Fase de Grupos

Treinador: Hugo Broos

Tática: 4x1x4x1

Melhor 11: Fabrice Ondoa; Ernest Mabouka, Adolphe Teikeu, Michael Ngadeu-Ngadjui, Collins Fai; Sébastien Siani; Christian Bassogog, Arnaud Djoum, Zambo Anguissa, Benjamin Moukandjo; Vincent Aboubakar

 

Austrália:

Classificação: Fase de Grupos

Treinador: Ange Postecoglou

Tática: 3x4x2x1

Melhor 11: Mathew Ryan; Miloš Degenek, Trent Sainsbury, Bailey Wright; Mathew Leckie, Mark Milligan, Aaron Mooy, Aziz Behich; James Troisi, Tom Rogić; Tomi Jurić

 

Chile:

Classificação: 2º lugar

Treinador: Juan Antonio Pizzi

Tática: 4x1x2x1x2

Melhor 11: Claudio Bravo; Mauricio Isla, Gary Medel, Gonzalo Jara, Jean Beausejour; Marcelo Díaz; Pablo Hernández, Charles Aránguiz; Arturo Vidal; Eduardo Vargas, Alexis Sánchez

 

Alemanha:

Classificação: 1º lugar

Treinador: Joachim Low

Tática: 3x4x2x1

Melhor 11: Marc-André ter Stegen; Niklas Süle; Antonio Rüdiger, Matthias Ginter; Joshua Kimmich, Leon Goretzka, Sebastian Rudy, Jonas Hector; Lars Stindl, Julian Draxler; Timo Werner

 

Melhor 11 da competição

Tática: 3x4x2x1 (a melhor utilizada na competição. Obriga a algumas adaptações)

Jogadores: Claudio Bravo (CHI); Georgiy Dzhikiya (RUS), Pepe (POR), Antonio Rüdiger (ALE); Mauricio Isla (CHI), Leon Goretzka (ALE), Sebastian Rudy (ALE), Miguel Layún (MEX); Arturo Vidal (CHI), Julian Draxler (ALE); Alexis Sánchez (CHI)

 

 TOP 5 – Jogadores

5) Claudio Bravo (34 anos)- Guarda-redes completo

Antes da competição, muito se especulava sobre a condição física do atleta do Manchester City. Falhou os dois primeiros jogos do Chile, mas depois assumiu a titularidade e mostrou-se em grande forma. Rápido a sair dos postes, seguro dentro destes, não teve hipóteses de defesa nos dois golos sofridos durante o torneio. O apogeu da sua participação na Taça das Confederações deu-se nas meias-finais frente a Portugal, onde defendeu três grandes penalidades e não sofreu nenhuma no desempate após o tempo extra.

4) Arturo Vidal (30 anos)– Médio “omnipresente”

Ano após ano, competição após competição, o jogador do Bayern de Munique é sempre fulcral nas equipas onde joga. Atuando neste torneio como médio ofensivo central, na maior parte das vezes, tratou-se do patrão do meio-campo do Chile. Letal nas recuperações de bola e exímio na capacidade de passe, Arturo Vidal está presente em todo lado. Encheu o campo em grande parte dos encontros.

3) Leon Goretzka (22 anos)- Médio com capacidade de chegada à área

No meio da revolução operada por Joachim Low, o atleta do Schalke 04 foi um dos que aproveitou a oportunidade para brilhar. Atuando no centro-direita do meio-campo da Alemanha, Leon Goretzka transpôs para esta competição as belas épocas que tem feito na Bundesliga. Demonstra uma grande capacidade de chegada a zonas de finalização, o que lhe valeu três golos neste torneio. Procura melhorar na compleição física e no aspeto defensivo, mas tem ainda uma grande margem de progressão.

2) Alexis Sánchez (28 anos)- Avançado energético

Um pouco à imagem de Arturo Vidal, o jogador do Arsenal dá tudo em campo, para além de exibir uma grande classe. Começou a prova como suplente utilizado devido a problemas físicos, mas rapidamente assumiu a titularidade. Atua em toda a largura do ataque e é um fora de série no passe, na desmarcação e na finalização. Um jogador completo que nunca desilude.

1) Sebastian Rudy (27 anos)- Equilibrador nato

Foi o atleta mais regular da competição. A espaços, já vinha sendo uma aposta do selecionador da Alemanha, mas também aproveitou esta convocatória surpresa para ganhar definitivamente o seu espaço. Jogando na posição de médio-defensivo, demonstra uma cultura tática invulgar, para além de grande precisão de passe. Importante igualmente nos equilíbrios defensivos, trata-se cada vez mais de um atleta decisivo nas equipas onde joga. De tal forma que, ainda antes do início da Taça das Confederações, foi contratado pelo Bayern de Munique ao Hoffenheim.

cof 2017

Sobre o Autor

Artigos relacionados