Menu Close

[:pt]Riqui Puig: o menino que encanta a Catalunha[:]

[:pt]Ricard Puig Martí, mais conhecido por Riqui Puig, apresenta-se como a principal referência para devolver ao meio campo do Barcelona a alegria que se perdeu após a saída dos seus dois eternos capitães. As comparações com Andrés Iniesta são inevitáveis e por demais evidentes, pelo que a expectativa é altíssima do lado dos adeptos e estrutura catalã. Nos últimos anos, os jogadores que saíram de La Masia não se conseguiram afirmar no clube e este poderá ser um ponto de viragem nessa matéria. Após ingressar na equipa sub 16 da formação blaugrana (proveniente do Jàbac Terrassa), começou um trajeto que atingiu o seu ponto mais alto na estreia pela equipa principal com apenas 19 anos, num jogo a contar para a Copa do Rei.

Puig é um médio centro que pauta todos os momentos ofensivos da sua equipa, através da qualidade e inteligência com que gere o jogo. A eficácia de passe situada acima dos 85% e a sua capacidade de drible (com uma média a rondar os 76%) transmitem muito do futebol que este pratica. Não tem medo de ter a bola no pé e procura sempre servir os companheiros que estão em melhor posição para a receber, seja em passes curtos ou longos (onde é exímio). É por isto, aliado ao facto de ter uma visão de jogo fora do comum, que passa por ele definir a segunda fase de construção sempre que se encontra em campo, onde define a melhor maneira de colocar a bola no último terço do terreno. Sempre que é chamado a intervir pelos seus companheiros, usa quase em exclusivo o pé direito.

Quando a sua equipa não tem a posse de bola, a pressão que exerce nos adversários é constante, tal como exige o estilo de jogo do Barcelona. É um jogador que tem bastante dificuldade nos duelos aéreos, fruto da baixa estatura, mas que rouba muitas bolas pelo chão. Corre muito durante os 90 minutos e quase sempre bem, por forma a proporcionar estabilidade tática entre o ataque e a defesa. Arrisca por vezes o um para um em zonas perigosas do seu meio campo, que desequilibram a sua equipa defensivamente quando é desarmado. Contudo e apesar de ser ainda muito jovem, é de realçar o facto de ser destemido sempre que é necessário assumir o controlo da bola, seja num estádio da segunda divisão ou em pleno relvado de Camp Nou.

Uma vez que o clube recusou cedê-lo por empréstimo esta temporada, faz neste momento parte da equipa B do Barça para que possa integrar o plantel de Valverde sempre que este assim o entenda. Com pouco menos de 1.70m e apenas 59kg, é gigante em todos os detalhes e que por isso fazem dele um enorme projeto para que num futuro próximo possa vingar no emblema ‘culé’ e na seleção espanhola. Depois de Xavi e Messi, foi também Gattuso quem elogiou. Após o jogo de pré temporada entre Milan e Barcelona, o técnico italiano afirmou categoricamente que Puig “tem cara de miúdo, mas é espetacular e tem muito futebol dentro dele”.

[:]