Menu Close
[:pt]

10 de junho de 2016. O Uruguai era eliminado da edição centenária da Copa América em plena fase de grupos. Após uma prestação dececionante, a ausência de Luis Suárez por lesão e o envelhecimento das principais figuras da seleção (Muslera, Godín, Maxi Pereira, Arévalo Rios, Cristián Rodríguez, Cavani e o já mencionado Suárez, todos eles já estão na casa dos 30 anos) lançaram o alarme em relação ao futuro da “Celeste”.

6 meses depois, as preocupações parecem ter esmorecido após a conquista do campeonato sul-americano sub20, por parte da seleção uruguaia júnior. Nessa seleção houve um nome que se destacou. Rodrigo Bentancur, o principal protagonista da nova geração “Charrua”.

Rodrigo Bentancur Colmán é um jovem centro campista de 19 anos, com uma estrutura física assinalável (mede 1,85cm), que joga na principal equipa do Boca Juniores, desde 2015, na qual permanecerá, apenas, até ao final da presente época. Isto porque, o jovem uruguaio que chegou a ser dado como possível substituto de Renato Sanches no SL Benfica, foi recentemente contratado pela Juventus a troco de 9,5 milhões de euros, mais verbas adicionais em função de determinados objetivos (segundo anúncio da “Vecchia Signora” no seu sítio na internet), tornando-se no primeiro reforço dos pentacampeões e atuais líderes do campeonato transalpino. O contrato é válido por cinco temporadas, até Junho de 2022 e prevê ainda o direito de o Boca receber 50% de uma eventual futura transferência.

Inserido num 4-3-3, que privilegia a posse e as saídas rápidas, Bentancur ocupa habitualmente a posição de médio interior esquerdo, assumindo-se como o principal dinamizador da segunda fase de construção da equipa de Guillermo Barros Schelotto. Complementarmente, Bentacur pode assumir funções mais avançadas no terreno, como médio ofensivo, ou, inclusive, como médio ala direito num sistema com 4 médios.

No que se refere aos principais atributos individuais, o jovem médio uruguaio destaca-se sobretudo ao nível da técnica e condução de bola, evidenciando uma boa capacidade de jogar ao primeiro toque, bem como um forte remate exterior. Em termos mentais é de realçar a superior visão de jogo que Bentancur demonstra, ao passo que do ponto de vista físico, a sua constituição natural oferece-lhe capacidade de choque na disputa de duelos individuais. A este nível destaque ainda para aceleração que lhe permite incutir rápidas mudanças de velocidade ao jogo, sobretudo quando sai em progressão, aspetos onde a agilidade e equilíbrio que evidencia também ganham relevo.

Por outro lado, Rodrigo Bentacur apresenta alguns indicadores menos positivos no seu jogo que deverão ser corrigidos se quiser ter sucesso no futebol europeu. Desde logo, precisa de ser mais incisivo no momento da finalização, assim como mais agressivo no processo defensivo, sobretudo na ocupação de espaços e no pressing zonal. É, pois, um jogador pouco agressivo, que joga pouco na antecipação, escondendo-se várias vezes do jogo, quando em posse e com algumas falhas na tomada de decisão ao nível do passe.

Organização ofensiva

No momento da organização ofensiva Rodrigo Bentancur assume maior protagonismo na segunda fase de construção (habitualmente é Fernando Gago que se encarrega de iniciar a construção de jogo da equipa), na qual se destaca pela facilidade com que consegue sair de zonas de pressão a um/dois toques. Bentancur assume ainda protagonismo na fase da criação pela superior capacidade de fazer rupturas com bola no meio campo adversário. Neste aspeto é de realçar a capacidade de condução de bola evidenciada pelo jogador, bem como a sua visão de jogo e capacidade técnica. Sublinhe-se ainda o potencial existente ao nível do remate exterior, muito embora, seja necessário corrigir vários aspetos no momento da finalização, pois trata-se de um jogador com “pouco golo”.

De igual modo, é importante que Rodrigo Bentancur seja capaz de melhorar a sua concentração e tomada de decisão quer ao nível do passe, quer na definição dos lances onde deve temporizar ou sair em progressão, sobretudo na segunda fase de construção, momento em que revela algumas falhas que colocam a sua equipa em situação desfavorável. Neste momento, é igualmente importante que Bentancur se dê mais ao jogo, movimentando-se com maior assertividade na procura pela bola, dando linhas de passe interior (nos jogos observados, foram várias as situações onde Bentancur pareceu apático no centro do terreno, onde, movimentando-se dois ou três passos, poderia dar uma linha de passe). Há margem ainda para melhorar o passe longo, aspeto que dotará o seu jogo de maior imprevisibilidade, devendo ser também, tal como já foi referido, mais incisivo no momento da finalização.

 
 
Organização defensiva

Ao nível da organização defensiva existem vários indicadores menos positivos no jogo do jovem médio uruguaio.
Desde logo, a sua ocupação espacial não é a melhor, sendo um jogador pouco agressivo no pressing zonal e no respetivo condicionamento das linhas de passe.

bentancur1
Imagem 1: Após o passe em profundidade, Bentancur negligencia o lance e não acompanha o seu opositor, permitindo-lhe ficar numa posição favorável à entrada da área

Apesar de ser um jogador com uma boa atitude e capacidade na disputa de duelos individuais, Bentancur revela uma atitude apática alarmante em lances relativamente perto do seu raio de ação, nos quais, adotando outra postura na cobertura defensiva e na cobertura das linhas de passe, poderia recuperar diversas bolas e fazer uso da sua qualidade técnica para sair rápido da zona de pressão.

bentancur2
Imagem 2: Perante a ruptura com bola do adversário, Bentancur, em zona de ninguém, não oferece cobertura defensiva ao seu colega, nem se preocupa em condicionar linhas de passe, seja do lateral adversário que se encontra aberto, seja do médio interior que se encontra à entrada da área.

 

 
 
Transições

 

Neste momento de jogo é de salientar essencialmente a importância de Bentancur nas transições ofensivas. A qualidade e velocidade com que consegue sair em progressão, bem como a facilidade com que sai de zonas de pressão a um/dois toques são bastante acima da média, tornando-o num jogador extremamente perigoso neste momento de jogo.

Contudo, existem aspetos que podem e devem ser melhorados, nomeadamente ao nível da tomada de decisão no momento do último passe, nem sempre muito bem definido/executado.

Em matéria de transições defensivas não há muito mais a acrescentar ao que foi dito em termos de organização defensiva. Quando a perda de bola se dá no seu raio de ação, nomeadamente por sua responsabilidade, Bentancur é rápido a pressionar e tentar recuperar a posse e/ou condicionar as saídas do adversário. Por outro lado, quando fora do seu raio de ação, Bentancur assume uma atitude mais passiva, sendo várias as vezes em que a sua ocupação espacial não é a mais correta.

 

Bolas paradas

Em termos de bolas paradas, o jovem médio uruguaio não assume especial protagonismo. Por um lado, o seu jogo aéreo não é claramente um dos seus pontos fortes, o que lhe retira presença na área nos cantos e nos livres.

Por contraponto, apesar de não ser um jogador efetivo na marcação de cantos e livres, existe alguma margem para evoluir a este nível e atingir um nível médio, não sendo, contudo, expectável que Bentancur se venha a assumir como uma referência na marcação de bolas paradas.

 

Um médio versátil com potencial contínuo

 

Rodrigo Bentancur tem vindo a evoluir gradualmente, desde 2015, na equipa principal do Boca Juniores, sendo já, aos 19 anos, um jogador muito importante na manobra da equipa de Guillermo Barros Schelotto. O seu potencial técnico, aliado a uma boa constituição e condição física, assim como uma sublime visão de jogo, abrem boas perspetivas de evolução futura, daquele que já é um dos wonderkids da atualidade e, provavelmente, tornar-se-á num dos melhores jogadores uruguaio da sua geração.

Para já, resta saber como se vai adaptar ao futebol europeu. O que é certo é que a sua qualidade atual apenas é suficiente para assumir um papel de rotação na Juventus, devendo corrigir os diversos aspetos menos positivos já mencionados se quiser assumir um papel de maior importância e conquistar, um dia mais tarde, a titularidade na equipa de Turim.

 

bentancur perfil[:]