Menu Fechar

Segunda vida de Fuenzalida

Nascido em Santiago do Chile, começou a aparecer no panorama sénior no Universidade Católica, onde jogou 4 épocas até se transferir para o gigante chileno Colo-Colo (com uma curta passagem pelo O´Higgins) onde jogou 7 épocas, transferindo-se depois para a Argentina para jogar 1 época no Boca Juniors e voltar ao Universidade Católica esta época. Pela selecção tem 31 jogos e 2 golos.

Fuenzalida é um jogador que faz toda a ala direita. Seja a lateral ou jogando mais subido, o jogador chileno imprime velocidade, vertigem e profundidade ao jogo (sabendo também jogar em posse, em apoios com os médios para progredir com bola), com a sua capacidade em fazer o vaivém defesa-ataque. Não sendo propriamente um jogador goleador, tem facilidade em chegar à área e aparecer em zonas de finalização provocando superioridade ofensiva na sua equipa. Com 31 anos está na plenitude das suas capacidades e é um certificado de seguro na faixa direita tendo como armas a velocidade, a experiência e o facto de ser muito forte vindo de trás para cruzar/rematar.

Com a função de extremo direito, no 4-3-3 de Juan António Pizzi, Fuenzalida tem emprestado a sua velocidade, a sua capacidade de combinar com o lateral e aparecer embalado para cruzar, o facto de também saber jogar por dentro e ficar no 1×0 frente ao guarda-redes, fazem dele um dos agitadores do jogo chileno. Repartindo as despesas do ataque com Alexis Sanches e Eduardo Vargas, o jogador da Universidade Católica tem mais responsabilidades no momento defensivo, ajudando o lateral a fechar o corredor, para compensar a menor propensão defensiva dos outros 2 companheiros de ataque. Com esta disciplina táctica e ainda sendo forte ofensivamente e conseguindo alimentar o ataque ora cruzando ora combinado e entrando por dentro para finalizar, Fuenzalida tem sido uma agradável surpresa no onze chileno que pretende revalidar o título alcançado em casa no ano passado. Um jogador interessante e que embora pese os 31 anos, tem andamento e ritmo para encarar um desafio na Europa.