Wuilker Faríñez

Wuilker Faríñez

Nascido em Caracas, num dos bairros mais perigosos da cidade, Wuilker Fariñez é um dos guarda-redes com maior futuro no futebol mundial. Começou a sua carreira com 7 anos de idade na Nueva Esparta y Family Club. Aos 13 anos assinou pelo Caracas FC, o clube da sua cidade e o mais bem-sucedido na Venezuela. Chamou a atenção do Real Madrid no ano seguinte, tendo participado em testes de captação. Acabou por ser recusado devido à sua baixa estatura.

Nesse mesmo ano assinou contrato profissional com o Caracas FC, tendo passado a ser membro da equipa principal com apenas 15 anos! Estreou-se na equipa principal a 15 de outubro de 2014, com apenas 16 anos num jogo a contar para a Copa Venezuela, tornando-se o guarda-redes mais novo de sempre a estrear-se num jogo oficial na Venezuela. No início da época seguinte, com a lesão do titular Alain Baroja, Fariñez assumiu a titularidade dos Rojos del Ávila e não mais a largou.

Titular em todos os escalões da sua seleção nacional, foi no Mundial de Sub-20 de 2017 que o Mundo ficou a conhecê-lo. 507 minutos sem sofrer golos (3º melhor registo de sempre no torneio), uma campanha de sonho com especial destaque para uma soberba exibição nas meias-finais frente ao Uruguai e até um penalti convertido com sucesso contra o Vanuatu, ajudaram (e muito) os vinotintó a um inédito vice-campeonato, a maior façanha do país em qualquer competição futebolística.

A partir daí embarcou num novo desafio e o Millonarios FC da Colômbia é hoje o seu clube. O clube colombiano viu bem empregue o seu dinheiro (766 mil euros por 75% dos direitos económicos) quando, no início deste ano, Fariñez foi decisivo para a vitória dos Millos na Superliga Colombiana (prova disputada entre os vencedores dos Torneios Apertura e Finalización) contra o rival de sempre, Atlético Nacional. É atualmente também o titular da seleção nacional, tendo rubricado impressionantes exibições na fase final do apuramento sul-americano para o Mundial 2018, com especial destaque para o jogo final na casa do Paraguai onde Fariñez foi simplesmente intransponível para desespero dos paraguaios que se viram assim arredados do certame deste Verão.

Apesar de ser um guarda-redes baixo (1.81m), Fariñez é muito bom pelo ar. Seja dentro ou fora dos postes, o jovem venezuelano dá conta do recado. É dotado de uma impulsão fantástica que lhe permite fazer defesas verdadeiramente incríveis. Que o diga a seleção do Paraguai. É igualmente um guarda-redes com reflexos de grande nível. Muito rápido e inteligente, percebe (quase) sempre como e para onde vai a bola. Bastante bom com os pés, tem tudo para lhe juntar um controlo de profundidade de topo. Neste momento, tal é pouco solicitado pois, geralmente, as defesas onde tem estado inserido posicionam-se de forma muito recuada. Também tem uma boa qualidade de passe que encontra, com bastante sucesso, os seus colegas.

Como defeitos, pode-se apontar a falta de concentração que está presente em praticamente todos os erros que comete. Também por isso e sendo Fariñez um guarda-redes que não tem problemas com a bola nos pés, acaba a cometer erros na reposição de jogo. Corrigindo isto e talvez alguma excentricidade a mais nas defesas que faz, o céu é o limite.

Sendo hoje apontado a grandes emblemas mundiais, será uma questão de tempo até o vermos pela Europa. E quem sabe se esse destino não será Portugal…

Sobre o Autor

Luís Cardoso

Formado em Gestão, desenvolveu desde cedo o gosto pelo desporto, em geral, e pelo futebol, em particular. Apaixonado pela vertente tática do jogo, já esteve dentro e fora do campo. Define-se pela procura constante de mais e melhor conhecimento sobre o jogo, para o moldar e adaptar ao seu próprio entendimento. Pretende enriquecer o seu currículo académico quer em áreas ligadas ao jogo quer ligadas à gestão do mesmo.

Artigos relacionados