Menu Close

A primeira Emery League do Villarreal

De bola parada em bola parada até ao penalty de De Gea. De um lado havia os favoritos Manchester United, mas do outro estava o Villarreal de Unai Emery, o rei da Liga Europa. A final foi um jogo muito neutro, aborrecido a espaços, com dois treinadores conservadores a anularem-se um ao outro. Tanto United como Villarreal apostam muito em ataques rápidos, e com as duas defesas a estarem bem preparadas e organizadas, houve pouca criatividade e soluções coletivas para resolver o jogo de bola corrida e nos 120 minutos, levando o jogo para as grandes penalidades onde tivemos uns inéditos 21 penalties convertidos… até chegar a vez de De Gea. O Villarreal ganhou a sua primeira Europa League, e Unai Emery conquista o troféu pela quarta vez.

Num jogo em que ambas as equipas foram muito uniformes, houve poucas alterações táticas ao longo dos 120 minutos: o Villarreal apresentou-se bastante recuado, compacto e a apostar nos lances de contra-ataque e bola parada, enquanto o United tentou sempre explorar a velocidade dos seus homens da frente e a profundidade dada por Luke Shaw no corredor esquerdo. A equipa de Emery defendeu muito bem num 4-4-2, obrigando o United a recuar muitos jogadores para vir buscar jogo e tentar desequilibrar através de lances individuais. Bruno Fernandes jogou muito perto de Cavani, esteve pouco em jogo, e foi principalmente Rashford o desequilibrador dos Red Devils (mesmo sem grandes consequências e com lances desinspirados), com Paul Pogba a ter um papel importante na circulação de bola e passes longos. No lado do Villarreal, Raul Albiol liderou uma linha defensiva que esteve irrepreensível, defendendo muito bem as zonas centrais e tornando o jogo do United bastante previsível, principalmente após ver-se em vantagem através de um lance de bola parada, mais um de vários lances de bola parada que a equipa de Solskjaer sofreu este ano:

O 4-4-2 do Villarreal vs 4-2-3-1 do United
Após o golo de Moreno, o Villarreal baixou o bloco e deu muito poucas opções ao United

Na segunda parte o jogo foi bastante parecido: o United tentou pressionar para empatar a partida, subiu ligeiramente as suas linhas, mas acabou por se contentar com o empate. Solskjaer apenas mexeu na equipa já a meio do prolongamento, o Villarreal sentia-se confortável num bloco baixo e Albiol e Foyth continuavam a exibir-se a bom nível na defesa espanhola. No United, Cavani esteve muito ativo (golo decisivo), Rashford desequilibrou e Shaw terminou a época com mais uma boa exibição a nível ofensivo. No prolongamento, o United quebrou bastante, a equipa de Unai Emery podia ter finalizado um par de chances após recuperações na saída de bola do United, mas o empate permaneceu até ao vigésimo segundo penalty.

Como quase sempre: Rashofrd no 1v1, Luke Shaw no apoio, Cavani, Bruno Fernandes e Greenwood em zonas de finalização
Ao subir as suas linhas de pressão, o United dificultou a construção e o jogo com bola do Villarreal, que apresentou um nível ofensivo muito pobre ao longo dos 120 minutos.


Para todos os clubes, treinadores, jogadores, olheiros, agentes, empresas e media que queiram saber mais sobre os nossos serviços de scouting, não hesitem em contactar-nos através de mensagem privada ou do nosso email geral@proscout.pt.