Menu Close
[:pt]FC Porto

Alex Telles é o batedor principal das bolas paradas dos dragões, colocando a bola normalmente entre o primeiro poste e a zona central da pequena área onde atacam por norma os dois centrais e outro jogador. Têm sempre um jogador ao primeiro poste que faz uma corrida em direcção à bola tentando arrastar marcação. Herrera fica ou corre ao 2º poste em todos os cantos ofensivos. No geral, os dragões tentam sempre colocar dois jogadores ao primeiro poste, os 3 melhores cabeceadores no centro e um jogador ao 2º.

É comum ver o Porto variar com cantos curots, maioritariamente quando está em vantagem no marcador e um dos centrais fica atrás. Os dois jogadores mais virtuosos – Brahimi e Corona ou Otávio – ficam junto ao batedor para tentar combinações rápidas que os permitam ganhar alguns metros dentro da grande área adversária, caso o oponente feche bem os espaços, a ideia passa por colocar em Alex Telles que cruza para a grande área.

Defensivamente os dragões optam por uma marcação maioritariamente individual. 3 jogadores cobrem a área do 1º poste e 5 marcam individualmente os adversários. Os dois jogadores mais tecnicistas – que no caso do FC Porto também são os menos possantes fisicamente – guardam a entrada da grande área e são os primeiros alvos no caso da equipa recuperar a bola e querer sair no contra-ataque.

 

SL Benfica

Defensivamente os encarnados primam pela marcação zonal com uma linha de 4 jogadores na pequena área – os dois centrais ao meio e dois jogadores possantes nas pontas, Grimaldo, o jogador mais baixo fica junto ao primeiro poste enquanto Fejsa e Salvio marcam a entrada da pequena área de onde vem a bola. Os dois médios centro Pizzi e Gedson fazem marcação individual junto à marca de penalti enquanto Cervi cobre a entrada da grande área ou previne o canto curto, caso algum adversário se aproxime do marcador.

Ofensivamente o Benfica normalmente coloca apenas 5 jogadores na grande área. Jardel e Ruben Dias são os principais alvos do batedor e alternam de canto para canto a zona que atacam. Ambos partem da zona da marca de penalti e atacam um dos postes alternadamente enquanto Fejsa cinge-se à zona central da pequena área embora por vezes faça movimentos para um dos postes no sentido de atrair marcação. Duas características nunca mudam, o avançado parte do primeiro poste em direção à bola e Gedson parte da posição do guarda-redes em direção ao segundo poste na esperança de receber uma segunda bola. Pizzi ou Cervi são os batedores de cantos do Benfica, sendo que um deles fica perto do marcador para possibilitar a opção de canto curto.

https://streamable.com/b9064

 

Sporting CP

Os leões variam o seu posicionamento e zona de ataque na área adversária consoante o pé preferencial do batedor. Se for um esquerdino a marcar os leões colocam os seus dois centrais na zona dos guarda-redes adversário movimentando-se no sentido contrário ao efeito que a bola traz enquanto um jogador ataca a mesma zona, mas vindo de trás. Um jogador ataca a zona do primeiro poste e o avançado, normalmente, fica junto ao 2º poste. A zona alvo é entre o primeiro poste e o centro da pequena área onde o guarda-redes terá dificuldades em sair devido à aglomeração de jogadores.

Nos cantos marcados por um destro a zona alvo é a marca de penalti onde os dois centrais e o médio defensivo (os jogadores mais fortes fisicamente) tentam atacar. Um jogador corre ao primeiro poste na tentativa de libertar espaço no meio e o avançado posiciona-se junto ao segundo poste.

Defensivamente os leões colocam 4 jogadores junto à linha da pequena área, dois junto ao primeiro poste, outro jogador perto da marca de penalti mas sem marcar ninguém individualmente enquanto outros dois posicionam no limite da grande área.

https://streamable.com/bckqy[:]