Menu Close

O Borussia Mönchengladbach tem sido uma das surpresas da Bundesliga. Sob o leme de Marco Rose, alemão de 43 anos, que teve o seu destaque na equipa austríaca do Red Bull Salzburg. Com uma UEFA Youth League, uma taça da Áustria e dois campeonatos austríacos no bolso, Marco Rose abraçou o projeto de Gladbach e deu o primeiro passo no principal escalão do futebol alemão. Com apenas cinco contratações, Rose está a trabalhar sob um grupo que adquiriu os princípios do treinador e assentou no compromisso a sua maior arma.

Uma só tática? ‘Não Obrigado’

Definir um onze base do Borussia Monchengladbach não é difícil, difícil seria dizer-vos qual o sistema tático em que jogam. A equipa tem uma grande flexibilidade tática, que tem sido cada vez mais comum no futebol. Vamos definir duas linhas orientadoras para identificação do sistema tático da equipa: 4x2x3x1 e 3x4x3.

No 4x2x3x1, jogam com duplo-pivôt, ocupada por Kramer, Zakaria, Strobl ou Neuhaus. Na frente de ataque jogam com uma referência ofensiva: Pléa ou Stindl. Atrás da referência ofensiva colocam três jogadores, que podem ser Herrmann, Embolo, Thuram, László Bénes ou Hofmann. Apresentam diversas variantes, como o 4x3x3, o 4x5x1 ou o 4x4x2. Em todos estes sistemas, anteriormente inumerados, podem jogar com um duplo-pivôt ou com uma linha de três no meio campo.

Por fim, o 3x4x3, que também apresenta bastantes variantes, tem na sua génese uma linha de três, com Zakaria, Strobl ou Jantschke a encaixar no meio dos dois centrais habituais Ginter e Elvedi. Os laterais ganham espaço livre e, em virtude da sua preponderância ofensiva, criam desequilíbrios na defensiva adversária. Dão uma grande largura e profundidade à equipa, conseguindo ultrapassar a primeira linha de pressão do adversário com facilidade.

As mutações táticas da equipa de Marco Rose são uma evidente vantagem para a sua equipa. Não só pela dificuldade que o adversário tem em prever qual o sistema tático que o Borussia vai apresentar, mas também permite à equipa mudar a sua estrutura em campo no decorrer do jogo, adaptando-se ao adversário e, assim, fazendo face às adversidades que lhe são colocadas.

Organização Defensiva

A equipa de Gladbach defende em bloco médio-alto, exercendo uma pressão forte e agressiva sobre o portador da bola. Através desta pressão, conseguem recuperar rapidamente a posse de bola. Jogam com os setores bastante próximos, evitando dar muito espaço ao adversário para jogar entre linhas. São uma equipa particularmente forte no momento da reação à perda.

A pressão alta pode ser um elemento contra quando não é bem executada e, é aqui que o Borussia enfrenta algumas dificuldades. Apesar da velocidade dos seus centrais e laterais, que formam uma linha de 5, quando têm os apoios mal colocados podem ter dificuldades em abordar bolas que são colocadas nas suas costas.

Momentos Defensivos do Borussia M’Gladbach

Organização Ofensiva

Procuram sair a jogar a partir de trás, com o guarda-redes a participar, por diversas vezes, na 1ª fase de construção. A 1ª fase de construção é feita com três jogadores, esteja a equipa a jogar em 3x4x3 ou em 4x2x3x1. Jogando com quatro defesas, um dos médios encaixa no meio dos centrais para executar a saída de bola da equipa. Mesmo pressionados, optam por sair a jogar, seja pelos médios centro, procurando o jogo interior, ou pelos laterais, procurando os corredores laterais. Se forem pressionados, ultrapassam a pressão adversária, procurando as referências ofensivas que, posteriormente, procuram a profundidade através da velocidade.

1ª fase de construção feita com 3 jogadores

Os dois laterais oferecem bastante largura e profundidade à equipa, aparecendo também em zonas de finalização. Os jogadores mais ofensivos da equipa potenciam uma elevada rotatividade entre si, podendo posicionarem-se em 1×2, 2×1 ou, até mesmo, com uma linha de três. Esta rotatividade na frente de ataque dificulta as marcações da defesa adversária, não permitindo a marcação individual e homem a homem. Thuram, Pléa e Embolo são rápidos e fortes fisicamente, conseguindo criar desequilíbrios individuais através de situações de 1vs1.

Momentos Ofensivos do Borussia M’Gladbach

Transições como arma de jogo

Um capítulo importante no jogo do Borussia de M’Gladbach. Seja transição defensiva ou ofensiva, a equipa germânica é bastante eficiente.

No capítulo defensivo, são fortes na reação à perda e conseguem, muitas vezes, recuperar a bola em zonas ofensivas. Para isto acontecer, dão a liberdade para o adversário sair a jogar, para depois partirem para a pressão forte e agressiva.

Nas transições ofensivas, jogam um futebol apoiado e rápido. São bastante verticais nas suas ações, tendo uma posse de bola bastante objetiva (média de 51,5% de posse de bola na Bundesliga). Quando recuperam a bola, saem rapidamente em transição ofensiva conseguindo, através de triangulações, penetrar na defesa adversária. Os avançados jogam em apoio frontal e através de movimentos de rotura, em busca da profundidade, os médios conseguem ter soluções entre as linhas da defesa adversária.