Menu Close
[:pt]No Brasil, muito tem se falado sobre o número ideal de passes durante um jogo. Após as partidas, a imprensa debate sobre os números e faz diferentes análises para mostrar qual equipe conseguiu executar mais passes certos ou errados. No campeonato Brasileiro, até o momento (21ª rodada), Grêmio (490 passes por jogo) e Atlético Paranaense (473 passes por jogo) são as equipes que mais conseguiram trocar passes. Mas, será que a quantidade de passes significa desempenho superior em campo?

De acordo com os números apresentados pelas equipes, não. Trocar mais passes não significa, necessariamente, melhor rendimento em campo. Por meio da observação de diversos jogos, é perceptível o quanto a troca de passes é importante, afinal, quando se tem a posse de bola a chance da equipe adversária marcar um gol é menor (Grêmio tem a maior posse e a melhor defesa da competição). Contudo, ao contrário do que vem sendo observado, o que deve ser levado em consideração não são os números absolutos que representam a quantidade de passes, mas sim a qualidade com que são executados.

Ao analisar a média de passes decisivos, ou seja, aqueles que tem direta relação com os gols marcados, as equipes com melhores resultados são Cruzeiro (2.65 passes decisivos por jogo) e Palmeiras (2.6 passes decisivos por jogo), mostrando que o mais importante é o que se faz com a bola. Na tabela abaixo apresento uma lista na qual faço uma relação entre a quantidade de passes e outras variáveis relevantes do jogo. Ao olharmos os resultados do Brasileirão, talvez possamos entender e começar a mudar a nossa mentalidade de que apenas manter a bola seja fundamental para o resultado esportivo.

 

Vídeo de alguns passes decisivos das últimas 3 rodadas do Brasileirão

https://streamable.com/kbwfx[:]