Menu Close

Camaleónico Estoril de Primeira

O Estoril regressou esta época ao convívio da Primeira Liga. Foram 3 anos na 2ª Liga que foram longos para uma equipa que começava a ser normal lutar para a Europa, mas serviram para equipa se organizar, criar uma estrutura profissional, na qual se inclui uma equipa de Sub-23 para a Liga Revelação. O início tem sido prometedor, porque a equipa demonstra uma grande capacidade para se transformar durante o jogo, surpreendendo muitas vezes os adversários.

O Estoril atualmente, no Campeonato tem 4 jogos realizados, 3 vitórias, com principal destaque dos 3-0 ao Arouca e empatou com o Vitória SC.

Quem é Bruno Pinheiro?

Na época 2019/2020, o treinador que terminou a época foi Pedro Duarte, atual treinador da Sanjoanense, que durante essa época substituiu Tiago Fernandes. Nessa época a equipa falhava pela 2ª época consecutiva a subida de divisão. O nome escolhido para enfrentar a época, 2020/2021, foi Bruno Pinheiro, desconhecido do público em geral. Em Portugal passou pelas camadas jovens de Belenenses e Benfica, emigrando para o Qatar em 2015. No País do médio-oriente, passou pela Academia Aspire e pela Seleção de Sub-20 desse país, participando num Torneio de Toulon e num Campeonato Mundial Sub-20. Antes de ingressar no Estoril, teve uma curta passagem pelo Eupen, como treinador adjunto.

Bruno, tem uma postura calma, uma comunicação eficaz, mas principalmente demonstra, claramente, uma ideia de jogo onde procura tirar o máximo partido dos seus jogadores.

Equipa Base

O sistema de jogo é apenas uma base, porque depois durante o jogo as dinâmicas alteram-no, conforme os posicionamentos, da bola ou dos adversários. O Estoril é um exemplo claro disto, tem um sistema ofensivo que é uma espécie de 4 – 2 -3 – 1 mas defensivamente varia entre um 4 – 4 – 2 e um 5 – 3 – 2, até agora com mais frequência, onde um dos médios defensivos encaixa no meio dos centrais.

Em termos de XI, o Estoril procura variar principalmente os jogadores do meio-campo ofensivo, mas os destaques principais da equipa nesta altura, são o guarda-redes Dani Figueira, André Franco, Chiquinho e Gamboa. Não obstante, a equipa contratou alguns jogadores que podem elevar o nível, Baró, vindo do FC Porto, António Xavier, vindo do Panathinaikos e Rui Fonte, vindo do Sporting de Braga.

Momento Ofensivo

No seu momento ofensivo, em organização, a equipa demonstra um processo muito bem definido mas que para os adversários, por vezes, pode parecer confuso. Dois centrais dentro da área junto ao guarda-redes, médio defensivo (no momento ofensivo, mas central no momento defensivo) no meio na entrada da área e laterais baixos. Equipa procura construir apoiado e procurar atrair o adversário e procura depois o apoio dos médios interiores.

Principalmente, no jogo contra o Marítimo e devido a algumas dificuldades que a equipa sente sob pressão, procuraram com mais frequência o jogo longo e neste momento a equipa demonstra uma forte capacidade no ataque à 2ª bola.

Pontos a Melhorar

O Estoril demonstra, por vezes, alguma previsibilidade e as dinâmicas, por vezes, são fáceis de ler e isso fez com que a equipa no jogo com o Paços de Ferreira e no jogo contra o Vitória SC perdesse algumas bola que podiam ter causado situações de perigo. A equipa já conseguiu encontrar uma solução para dar a volta a este ponto a melhorar no jogo com o Maritimo, através do jogo longo.

Outro ponto que a equipa pode melhorar é o ataque à baliza, a equipa consegue ter a bola e acelerar o jogo, mas, em alguns momentos, a equipa parece pouco vertical.

Pontos Fortes

A capacidade que a equipa tem de encontrar homem livre, principalmente na primeira fase de construção.

Momento Defensivo

A equipa da linha varia a pressão entre um 5 – 3 – 2 e um 4 – 4 – 2 e esta capacidade que a equipa tem de se ir adaptando ao jogo é um dos pontos fortes. Procurar uma pressão, em bloco alto, no pontapé de baliza adversário.

Não só é uma equipa com qualidade quando o adversário joga curto e apoiado, mas também quando a equipa joga longo. Tem bons jogadores para disputar a 1ª bola, como consegue ter a agressividade suficiente para ganhar a 2ª bola.

Pontos a Melhorar

Quando o adversário consegue sair da pressão e chegar a zonas de finalização, o Estoril demonstra algumas dificuldades, principalmente nos espaços entre defesas com os adversários a conseguirem criar oportunidades com os jogadores a aparecerem nas costas.

Conclusões

  • O Estoril, ainda, não perdeu este ano para o campeonato, somando 3 vitórias e 1 empate.
  • Em Organização Ofensiva, o Estoril demonstra uma excelente capacidade, para desmontar as equipas adversárias, no entanto, aposta muito no jogo interior, demonstrando-se, por vezes, previsível.
  • Em Organização Defensiva, a equipa é muito forte na pressão e demonstra uma excelente capacidade, quando o adversário joga longo.
  • O Estoril, demonstra ser uma equipa muito forte e com capacidade para ficar nos 10 primeiros classificados, além da sua qualidade de jogo, também demonstra ser um clube organizado e estruturado.


Para todos os clubes, treinadores, jogadores, olheiros, agentes, empresas e media que queiram saber mais sobre os nossos serviços de scouting, não hesitem em contactar-nos através de mensagem privada ou do nosso email geral@proscout.pt.