Menu Close

Canelas 2010 – Arranque imbatível

O Canelas 2010, tal como o nome indica, é um clube recente, fundado precisamente a 28 de Abril de 2010. Tem tido uma ascensão assinalável no futebol português. Na época de 2012/13, conquistaram o 1º lugar da 2ª Divisão da AF Porto, foi a primeira conquista do clube de Gaia. Dois anos depois, alcançaram a subida à 1ª Divisão, ficando a faltar 2 patamares para a ambicionada chegada aos campeonatos nacionais. Dois anos, duas subidas consecutivas, dois primeiros lugares e duas épocas com resultados impressionantes: 77 jogos, 59 vitórias, 7 empates, 11 derrotas, 121 golos marcados, 59 golos sofridos. Foi o coroar da ascensão aos campeonatos nacionais.

A descida e o regresso para ficar

Existiu uma mudança de paradigma no clube. Houve um aumento da qualidade competitiva e o clube enfrentou dificuldades competitivas que não tinha a nível nacional. Reformularam o plantel, adicionando qualidade. De ressalvar, por exemplo, que no primeiro plantel do Canelas 2010 que disputou o Campeonato de Portugal estava presente André Mesquita, que hoje joga na 1ª Liga no CD Santa Clara e que fez parte do Report do Campeonato de Portugal 2019/20.

Da primeira participação nos campeonatos nacionais resultou um 11º lugar que correspondia a um dos cinco lugares de despromoção. Nessa época fizeram 41 pontos, os mesmo que o Coimbrões, que conquistou a manutenção, perdendo apenas no confronto direto. A intenção do clube não era disputar a Divisão de Elite, mas sim o Campeonato de Portugal. Descida e imediato regresso aos campeonatos nacionais no ano seguinte.

Tiago Margarido – o jovem timoneiro

Aos 30 anos de idade, Tiago Margarido assumiu o comando técnico do Canelas 2010. Passou de treinador adjunto a treinador principal – a sua primeira experiência como treinador principal a nível sénior. Em 2019/20, o Canelas 2010 conquistou um 9º lugar no Campeonato de Portugal. Os 33 pontos conquistados seriam suficientes para alcançar a manutenção que a pandemia não permitiu alcançar. Os campeonatos terminaram mais cedo, mas o Canelas 2010 ainda foi a tempo de escrever o seu nome na história da Taça de Portugal, ao chegar aos quartos de final e ser eliminado pelo Académico de Viseu.

Esta época, Tiago Margarido e a sua equipa estão a realizar um arranque de campeonato assinalável, 4 jogos, 4 vitórias, 11 golos marcados e nenhum sofrido.

Jogar à Canelas

Esta temporada, com a restruturação do Campeonato de Portugal, o Canelas 2010 ficou na série D. Possivelmente uma das séries mais competitivas, onde há várias equipas com pretensões de alcançar o lugar cimeiro da competição. Até ao momento, o Canelas 2010 segue invencível e com a baliza inviolável. Nas quatro primeiras jornadas defrontou o Beira-Mar (em Aveiro), o Castro Daire (que não perdia para o Campeonato desde Setembro de 2019), o Espinho (sempre candidato aos primeiros lugares) e o Lusitânia de Lourosa (com o objetivo de subir à 2ª Liga).

Nestes quatro primeiros jogos, o Canelas 2010 conseguiu resultados importantes, vitórias convincentes e uma demonstração da força de um grupo, patente nos vários momentos do jogo.

O onze base

Nas primeiras quatro jornadas, Tiago Margarido apresentou quatro onzes distintos. Algumas alterações forçadas, dadas as conjunturas, outras estratégicas. No primeiro jogo, na deslocação a Aveiro para defrontar o Beira-Mar, o Canelas 2010 apresentou-se num 4x2x3x1. No segundo jogo, Tiago Margarido reformulou o seu sistema tático de base em função do adversário em questão. Como analisámos na época passada, a AD Castro Daire de Vasco Almeida joga num sistema de três centrais, assim Tiago Margarido optou por colocar a sua equipa no mesmo sistema que o adversário, um 3x4x3.

Na terceira jornada, o Canelas 2010 deslocou-se a Espinho e voltou ao sistema que tinha utilizado diante do Beira-Mar. Na quarta jornada, a última analisada, o Canelas 2010 recebeu o Lusitânia de Lourosa e Tiago Margarida voltou a reformular o seu sistema tático. Colocou a equipa a jogar num 4x1x4x1, com Sunday Abalo a ocupar a posição ‘6’. Esta mudança deve-se ao facto do Lusitânia de Lourosa de Rui Quinta alinhar com dois avançados, assim, do ponto de vista defensivo, o Canelas estaria mais protegido com o Sunday Abalo a ajudar a dupla de centrais.

Pode-se concluir que o Canelas de Tiago Margarido não tem um sistema de jogo, mas sim princípios e dinâmicas implementadas.

Processo Defensivo

No processo defensivo a equipa estrutura-se num 4x4x2, com duas linhas de quatro bem definidas. Quando joga com um sistema de três centrais não sofre alterações no sistema do processo defensivo para o ofensivo.

Defendem em bloco médio/alto, bem organizados e comprometidos com o processo. Destaque para o alinhamento da linha defensiva e respetiva subida no terreno no momento em que, em organização ofensiva, o adversário efetua um passe para trás.

A reação à perda de bola é um dos pontos fortes da equipa. Agressivos e rápidos a reagir à perda, conseguem recuperar muitas bolas no momento da pressão ao portador da bola e iniciar, rapidamente, o processo de transição ofensiva.

Processo Ofensivo

No processo ofensivo apresentam-se como uma equipa que se sente confortável com e sem bola. Olhando para as percentagens de posse de bola, nos quatro jogos realizados para o campeonato, conseguimos perceber esta nuance. Beira-Mar – 37%; Castro Daire – 57%; Espinho – 49%; Lusitânia de Lourosa – 37%. Quando o adversário permite, o Canelas tem bola e assume o jogo, caso o adversário se assuma como, teoricamente, mais forte, o Canelas permite que o adversário tenha bola, baixa as suas linhas e opta por um jogo de transições, no qual é bastante competente.

Na 1ª fase de construção, quando o adversário o permite, procuram sair a jogar desde trás. Projetam dois jogadores nos corredores (lateral direito + extremo esquerdo), mantendo uma linha de três na zona defensiva. Em diversas situações vê-se a subida do lateral direito pelo corredor e a movimentação do médio centro para o lugar de origem do lateral direito. Após estas movimentações, o defesa central que tem bola opta por explorar o corredor, seja em passe curto ou em passe longo, ou opta por explorar a referência ofensiva.

Todos os golos desta época: