Menu Close

Domínio encarnado com susto no final

O SL Benfica viajou até à Ucrânia para defrontar o Dínamo Kiev no primeiro jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões. Os encarnados não foram além de um empate sem golos, num jogo que dominaram a posse de bola mas não conseguiram entrar no bloco contrário. O final do jogo ficou marcado por boas oportunidades da equipa da casa que chegou mesmo a marcar, num lance que o VAR anulou por fora de jogo.

A equipa de Jorge Jesus entrou de forma pressionante e intensa, num início de jogo com grande personalidade. As águias mostraram superioridade e domínio absoluto no capítulo com bola. Sempre por cima dos ucranianos e com maior capacidade ofensiva. Apesar da maior % de posse de bola, a circulação de bola nem sempre foi feita de forma rápida com o técnico Mircea Lucescu a ter de baixar o seu bloco e a obrigar a equipa a defender baixo, perante o controlo de jogo que o Benfica exerceu.

Do ponto de vista estratégico, os ucranianos sentiram-se confortáveis a jogar em bloco baixo, não permitindo espaços ao Benfica para entrar pelo corredor central. Nas laterais, sempre que a bola entrava o Dínamo conseguia reagir bem e rodar rapidamente para não permitir situações de superioridade numérica. Esta forte reacção à construção encarnada permitiu ao Dínamo defender com segurança contra um Benfica previsível e lento no seu momento ofensivo.

No momento defensivo, o Benfica conseguiu exercer uma pressão forte e eficaz na saída dos ucranianos. Não permitindo que saíssem de forma confortável desde trás e recuperando a bola em zonas adiantadas, com possibilidade de finalizar logo de seguida.

A equipa portuguesa tentou de tudo para chegar à baliza contrária. Mesmo com maior ascendente na partida as oportunidades criadas não foram em grande número, apesar de terem criado o suficiente para saírem de Kiev com os 3 pontos. Jorge Jesus tentou através de bola parada, transições rápidas e sobretudo de ataque posicional chegar ao golo da vitória. As mudanças no segundo tempo com a tentativa de acelerar o jogo através de Lázaro, Radonjic e Darwin não foi bem sucedida porque com a retirada do espaço em profundidade por parte dos ucranianos, o Benfica acabou por não conseguir atacar as zonas de finalização com jogadores mais verticais e cujas características são mais valorizadas em zonas com espaços, em vez de espaços reduzidos como foi o caso.

Para a história fica o empate sem golos, num jogo em que o Benfica dominou mesmo sem criar muitas oportunidades de golo. No final da partida as águias ainda apanharam um susto com Odysseas e o VAR a evitarem a vitória do Dínamo Kiev.



Para todos os clubes, treinadores, jogadores, olheiros, agentes, empresas e media que queiram saber mais sobre os nossos serviços de scouting, não hesitem em contactar-nos através de mensagem privada ou do nosso email geral@proscout.pt.