Menu Close

F.C. Famalicão: Talento renovado!

O Famalicão foi protagonista de uma revolução no seu plantel, fruto da valorização de elementos chave que levaram o clube ao 6º lugar da Liga NOS no ano do regresso ao escalão principal do futebol português. A manutenção de João Pedro Sousa no comando da equipa famalicense, reforça a ideia da continuidade do projeto que visa tornar o clube como um dos principais a nível nacional.

POTENCIAL QUE RENDE E QUE SE AFIRMA

O plantel da época transata evidenciou bem as ambições do clube, com uma aposta maioritariamente em jogadores de elevado potencial à procura do contexto competitivo ideal para se desenvolverem e poderem dar o salto para outros patamares. Apesar da juventude, o plantel era efetivamente rico de qualidade individual, fator que permitiu formar um coletivo forte e competente.

O facto de estes jogadores serem provenientes de clubes de dimensão europeia faz com que, embora tenham pouca experiência ao mais alto nível, tenham uma bagagem diferente ao nível da sua formação que lhes permite ter desde logo um nível de rendimento muito assinalável.

De sublinhar que o Famalicão colocou um jogador em cada um dos três grandes (Toni Martinez no FC Porto, Diogo Gonçalves no Benfica e Pedro Gonçalves no Sporting), para além de jogadores que terminaram os seus empréstimos e se inseriram em contextos de exigência superior, ficando evidente a valorização que o clube proporcionou aos seus jogadores, não só do ponto de vista desportivo mas também financeiro.

Onze com jogadores que deixaram o clube

CONTINUIDADE DE UM PROJETO DE SUCESSO

Após uma época de regresso à Liga NOS com resultados assinaláveis, a fasquia eleva-se, pois a expectativa é que o nível que a equipa atingiu não seja apenas uma surpresa, mas que se torne uma regularidade. Ao longo do mercado de transferências, o clube demonstrou que o perfil de jogador que procura é semelhante ao da época anterior, procurando escolher jogadores com potencial de valorização futura mas que, por outro lado, deem garantias de rendimento imediato para repetir uma boa prestação na Liga.

Foi igualmente importante a capacidade de manter alguns jogadores cruciais como Riccieli, Patrick William, Guga, Gustavo Assunção e Rúben Lameiras para assegurar alguma estabilidade durante o período de adaptação dos reforços.

Onze com reforços da nova época

Para além dos jogadores apresentados, o Famalicão apostou ainda em Diogo Queirós, Dani Morer, Andrija Lukovic, Iván Jaime, Jhonata Robert e Leonardo Campana, alguns como prováveis segundas opções mas que serão igualmente fundamentais na caminhada da equipa de João Pedro Sousa.

REFORÇOS QUE PROMETEM SER REVELAÇÕES

EDWIN HERRERA | 22 ANOS | DEFESA DIREITO

Edwin Herrera encontra-se emprestado pelo Santa Fé até ao final da presente temporada. Somou 47 jogos pela equipa colombiana e chega ao Famalicão com promessa de ser um dos destaques da equipa. É habitualmente titular na seleção sub23 da Colômbia.

Lateral direito de 1,70m, ainda assim é competente no jogo aéreo. Rápido e concentrado do ponto de vista defensivo, sendo um jogador fiável. Não sendo especialmente criativo com bola, mas pela intensidade do seu jogo, é um jogador com capacidade para se envolver no ataque e criar desequilíbrios.

BRUNO JORDÃO | 22 ANOS | MÉDIO CENTRO

Jogador que em 2017 protagonizou uma transferência conjunta com Pedro Neto, do SC Braga para a Lazio. Emprestado pelo Wolverhampton, onde não se conseguiu afirmar na equipa principal. Contabiliza várias presenças pelas seleções jovens portuguesas, entre os escalões sub18 e sub21.

Médio centro de 1,80m, que evidencia ser completo pela capacidade que demonstra nos vários momentos do jogo. Forte na progressão com bola, aliando a boa relação com bola a uma capacidade física interessante. Capacidade de passe acima da média, principalmente no passe longo. Competente nos duelos, contribuindo para a equipa com várias recuperações de bola.

JOAQUÍN PEREYRA | 21 ANOS | MÉDIO CENTRO

Apesar de jovem, Joaquín Pereyra demonstra já um nível bastante elevado para a realidade da Liga NOS. Estreou-se pelo Rosario Central aos 17 anos, tendo cumprido 68 jogos ao serviço da equipa principal. Internacional sub20 argentino.

Trata-se de um médio esquerdino que se destaca essencialmente pela qualidade de passe. Jogador de recorte técnico refinado, capaz de criar inúmeras situações de perigo através do último passe. Muita qualidade na cobrança de bolas paradas. É ainda um jogador intenso no momento defensivo, especialmente nos momentos de pressing.

IVÁN JAIME | 20 ANOS | MÉDIO CENTRO

Médio espanhol proveniente do Málaga, clube onde chegou a jogar pela equipa principal na segunda divisão espanhola. Tem 4 internacionalizações pelas seleções jovens de Espanha. Contratado pelos famalicenses por 0,5M€.

Jogador de características ofensivas, que já atuou na dupla de médios, bem como na frente de ataque. Boa relação com bola e forte no último passe. Surge bem em zonas de finalização e não tem receio de assumir jogadas individuais.

FERNANDO VALENZUELA | 23 ANOS | EXTREMO ESQUERDO

Extremo formado no Racing Club e que chega ao Famalicão por empréstimo do Barracas Central. Esteve em destaque na época transata, somando 4 golos em 18 jogos e tendo sido convocado para a seleção sub23 argentina.

Jogador de estatura baixa (1,67m), mas com uma intensidade de jogo muito assinalável. Joga preferencialmente com o pé esquerdo e destaca-se pela capacidade de desequilíbrio individual, fruto da velocidade que possui e de uma capacidade técnica que lhe permite ultrapassar os adversários com relativa facilidade. A sua irreverência é uma constante ameaça à defesa adversária.