Menu Close

Guga: solução para o Benfica?

O lateral direito brasileiro de 22 anos voltou a ser noticiado para o SL Benfica. Guga foi um dos destaques do Brasileirão 2019 e analisado pela ProScout no final do ano passado. No 3º episódio do Scout Radar também foi um dos jogadores destacados.

Na análise que fizemos da temporada passada, caracterizámos o jovem brasileiro da seguinte forma:

“É um lateral completo, rápido na forma como aparece no ataque, taticamente inteligente sabendo ocupar bem os espaços no momento defensivo e ofensivo. Defensivamente é forte no desarme e demonstra concentração nas suas ações. Ofensivamente é um lateral evoluído tecnicamente e com capacidade para aparecer bem em zonas de cruzamento.”

Muito se falava da possibilidade de Guga deixar o Atlético MG e rumar a outros campeonatos, principalmente depois da chegada de Mariano. A verdade é que o internacional sub-23 pelo Brasil ficou e tem vindo a ser dos melhores laterais desta temporada, à imagem do que já tinha feito na época anterior. Este ano já leva 32 jogos e 2 golos marcados.

É um jogador versátil que pode atuar como lateral direito num sistema tático de 4-3-3 ou 4-2-3-1 como Jorge Sampaoli tem utilizado. Pontualmente o Atlético MG alinhou num sistema com 3 defesas com Guga a jogar como ala e a fazer todo o seu corredor, o que permite à sua equipa apresentar um 3-5-2 ou 3-4-3.

Por ser um jogador móvel e dinâmico, varia muito o seu comportamento em momento ofensivo. Pode aparecer mais por dentro a oferecer solução de passe interior ou a progredir pelo meio.

Jogador vertical que também consegue aparecer muito bem em zonas de cruzamento. Gosta de fazê-lo numa zona mais recuada e por dentro mas também chega bem ao último terço.

No momento sem bola é um lateral agressivo, com boa capacidade de marcação, boa leitura tática e capacidade posicional. Reage bem à perda e é rápido na forma como recupera, pressiona e condiciona o adversário.

No processo ofensivo é um jogador que consegue desequilibrar pela sua qualidade técnica. Não se esconde do jogo, demonstra boa capacidade de drible e gosta de ir para cima dos adversários. Boa relação com bola, capacidade no cruzamento e variação do jogo interior-exterior com critério e qualidade. Aposta muito nos lançamentos longos, sendo uma das suas principais armas.

Pode melhorar no timing de pressão e no momento de contenção, assim como no critério com bola e na forma como ataque as zonas de cruzamento e finalização, para não expor a sua equipa no momento de transição defensiva.

Aos 22 anos, Guga é um dos laterais brasileiros mais completos e interessantes da atualidade. Pelo seu talento e qualidade pode dar o salto para a Europa, de forma a crescer num contexto mais competitivo e com os estímulos necessários para alcançar o patamar que é projetado para o jogador.