Menu Close

Koeman e Trincão – Notas de uma estreia

Apesar do momento conturbado que o clube ainda vive (muita tensão ainda entre jogadores, treinador e presidente), o Barcelona estreou-se na La Liga com uma vitória expressiva por 4-0 frente ao Villarreal. Com a curiosidade crescente sobre o que será o Barça do holandês (também ele um histórico do clube, membro da “Dream Team”), ficam aqui alguns apontamentos que retirámos do jogo do passado domingo no Camp Nou, que também ficou marcado pela estreia de Francisco Trincão.

Novo Barça

  • Estrutura base em 1-4-4-2/1-4-2-3-1, dependendo da dinâmica dos dois homens da frente, Messi e Coutinho, com liberdade de movimentos alternando entre o apoio/rutura e algumas vezes até apoio/apoio, permitindo o ataque à profundidade dos homens do corredor;
  • Primeira fase de construção com saída em 2+2 (duplo-pivot), com Busquets e De Jong em movimentos diagonais para perfilar e receber, sempre preparados no entanto para incorporar a primeira linha e sair em 3+1 (ocorreu várias vezes neste jogo);
  • Nos corredores, dois momentos distintos: numa primeira fase, laterais baixos no terreno para serem solução para a saída e alas (Ansu Fati e Griezmann neste jogo) ainda abertos no corredor para serem linha de passe frontal; ou, numa segunda fase, laterais em projeção simultânea (permitida pela cobertura de duplo-pivot) e largura máxima, permitindo aos alas entrar em corredor central, criando superioridades.

Fica agora a curiosidade para perceber em desafios mais exigentes, em que os princípios de organização defensiva fiquem mais patentes, se os fantasmas do passado recente continuam presentes ou não. No entanto, este novo Barça conseguiu alternar momentos de longa posse (mais verticalizada, bom sinal) com saídas vertiginosas com ameaças à profundidade muito agressivas, principalmente numa primeira parte que deixou sinais muito positivos para o futuro.

Lufada de Trincão

Aos 78′ da partida, Koeman concedeu a Trincão a sua estreia na La Liga. O jovem de 20 anos, que entrou para o corredor direito, deu sequência às boas indicações que deu na pré-época, mantendo a irreverência no drible que tão bem o caracteriza e tendo tido mesmo oportunidades para deixar o seu nome no marcador.