Menu Close

Final da Champions League em Lisboa, no Estádio da Luz, depois de uma época atípica e marcada por um contexto competitivo muito específico.

O último jogo da temporada europeia colocou frente a frente o Bayern Munique de Hans-Dieter Flick e o PSG de Thomas Tuchel. Os germânicos venceram por 1-0 e confirmaram o estatuto de favoritos como referimos aqui, assim como no Guia da Champions, podcasts e vídeos do Tactical Room no nosso canal do Youtube.

O Bayern controlou o jogo com e sem bola mas as melhores ocasiões até surgiram do lado dos franceses. Contrariamente ao que dizem o PSG é uma equipa com organização colectiva e com individualidades de grande qualidade. Longe vão os tempos em que o PSG se fazia valer apenas pela sua qualidade individual. O PSG esteve perto de fazer história na sua 1ª final da Champions mas foi o pragmatismo e a experiência dos alemães que levaram a melhor na final.

Apesar da facilidade com que o PSG desequilibrou no último terço com Di María, Neymar e Mbappé existiu sempre a sensação de controlo e segurança por parte do Bayern. Capacidade de gerir o ritmo de jogo com bola e qualidade na recuperação da posse. Pressão sempre bem organizada por parte do Bayern, algo que o PSG teve dificuldades em executar.

No lance do golo, Thiago conseguiu descobrir Kimmich entre linhas, sem qualquer pressão por parte dos franceses. Lewandowski e Coman atacaram o mesmo espaço no 2º poste com Kehrer a ter de dividir a marcação e a deixar fugir o extremo francês que marcou o golo da vitória contra o clube que o formou.