Menu Close
[:pt]
A seleção portuguesa Sub-21 terminou esta semana a sua qualificação para a fase final do Euro 2017 da categoria, com um empate frente à Hungria e uma goleada diante o Liechtenstein.
Numa brilhante campanha, os pupilos de Rui Jorge, somaram 26 pontos, somando 8 vitórias e apenas 2 empates. Neste caminho rumo ao campeonato da Europa, Portugal aplicou 4 goleadas, tendo 34 golos marcados e apenas 5 golos sofridos. No grupo 4 composto pelas selecções de Israel, Grécia, Hungria, Albânia e Liechtenstein. Portugal tem, assim, um colectivo brilhantemente liderado por Rui Jorge, com imenso talento e que apresenta um futebol de qualidade. De notar que a selecção portuguesa sub-21, não perde um jogo oficial há cinco anos, a última derrota foi no dia 11 de Outubro de 2011, diante da Rússia.

Em 2015, sob a liderança de Rui Jorge, Portugal sagrou-se vice-campeão europeu de sub-21, na República Checa, tendo disputado e perdido a final nas grandes penalidades, frente à Suécia. Recorde-se que dessa equipa, parte dos talentos são hoje habituais escolhas de Fernando Santos para a selecção “A”. Como são os casos de Bernardo Silva, William Carvalho, Raphael Guerreiro, João Mário e Rafa Silva. Portanto, o trabalho desenvolvido pelos clubes na formação,  juntamente com a decisão concertada entre estes e a Federação Portuguesa de Futebol de fazer regressar as equipas B para o patamar competitivo em que estas se encontram, está a dar os seus frutos. Isto é, bons resultados em termos desportivos como são os casos dos escalões sub-17, sub-19 e sub-21 e ainda fornecer à equipa “A” os talentos que surgem no futebol português.

Para o Euro 2017 que decorrerá na Polónia, Portugal é uma das selecções que estará no lote das equipas mais fortes. Depois da geração anterior se ter sagrado vice-campeã, esta tentará elevar a fasquia e partirá rumo a leste com essa ambição. Esta equipa tem qualidade e talento suficientes para ombrear com qualquer selecção europeia e por isso poderá conquistar o tão ambicionado título, tomando, aliás, o exemplo da selecção “A”.

Desta selecção fazem parte talentos, já bem conhecidos do futebol português, como Rúben Neves, Rúben Semedo, Tobias Figueiredo, Iuri Medeiros, Ricardo Horta, Bruno Fernandes, Gonçalo Guedes, Diogo Jota, André Horta, Carlos Mané, Gonçalo Paciência ou Daniel Podence.

Com tanto talento, competência da equipa técnica e o bom futebol apresentado, Portugal pode sagrar-se campeão da Europa de sub-21, em 2017, na Polónia.
[:]