Menu Close

Portugal vs Suécia: classe portuguesa gela os nórdicos

Portugal recebeu em Alvalade a Suécia, naquele que foi o quarto jogo da UEFA Nations League. Depois do jogo com Espanha, este foi o segundo jogo da seleção que contou com a presença de público nas bancadas, onde desta vez puderam festejar. Vitória categórica de Portugal por 3-0 sobre a Suécia.

Sem Cristiano Ronaldo, afastado do encontro devido ao Covid-19, Fernando Santos montou uma frente de ataque com Diogo Jota, Bernardo Silva e João Félix. No lado direito da defesa, João Cancelo rendeu Nélson Semedo.

Portugal estruturou-se no seu habitual 4x3x3, com William Carvalho em posições mais adiantadas, fazendo dupla a meio campo com Bruno Fernandes. Capacidade de reter bola, capacidade de passe e intuição para lançar transições ofensivas rápidas foram visíveis no jogo de ambos. Danilo, Pepe, Rúben Dias e Rui Patrício ofereceram segurança defensiva à equipa, permitindo à equipa balancear-se para o ataque, inclusive João Cancelo e Raphael Guerreiro, que desequilibraram bastante no último terço. A frente de ataque ofereceu muita mobilidade e versatilidade de movimentos, jogando em espaços interiores, exteriores, em profundidade ou em apoio frontal. Boas dinâmicas que culminaram numa boa exibição.

A frente de ataque de Portugal tinha na velocidade uma arma do seu jogo. Conseguiram colocar a velocidade em prol da equipa, quer em processo ofensivo, quer em processo defensivo. Portugal pressionou a Suécia desde a 1ª fase de construção, obrigando os suecos a jogar longo. Neste momento Portugal colocou todos os setores em trabalhar em sintonia. O setor ofensivo numa pressão forte, rápida, agressiva e inteligente sobre o portador da bola. O setor defensivo com bons posicionamentos, capacidade de antecipação, desarme e impetuosidade nos duelos, recuperando a posse de bola. E o setor intermédio com capacidade de passe, visão de jogo e velocidade de execução, permitindo a Portugal sair em transições ofensivas rápidas.

Diogo Jota e Bernardo Silva foram duas das figuras de destaque na equipa portuguesa. A exploração do espaço interior (entre central e lateral) foi mina de ouro para os dois extremos portugueses. No lance do segundo golo de Portugal, Diogo Jota movimenta-se para espaços interiores, atacando as costas da defesa sueca entre o central e o lateral. Destaque natural para a capacidade de passe e visão de jogo de João Cancelo, numa excelente execução e assistência no lance.

Highlights e golos do jogo Portugal vs Suécia: