Menu Close
[:pt]O jogador que procederemos a analisar neste espaço não é, de todo, um futebolista qualquer. É unanimemente considerado o melhor jogador do campeonato russo de futebol da época 2017/18 e transatas, tendo em seu nome a distinção de jogador do ano a atuar na Rússia, prémio datado de 2017. Referimo-nos, naturalmente, a Quincy Promes, o desequilibrador holandês que fez parte dos quadros do Spartak Moskva, da Rússia, clube participante do principal escalão do futebol russo, e dos clubes mais representativos desde os tempos da URSS. Assinou recentemente pelo Sevilla, demonstrando a qualidade que lhe reconhecíamos já há muito tempo.

Quincy Promes, apesar de ainda numa idade precoce, tem tarimba da formação do Ajax de Amesterdão, tendo passado alguns anos neste reconhecido clube, até ser dispensado pelo mesmo aos 16 anos. Compreensivelmente, este continuou a sua formação noutros emblemas, apesar de menor dimensão, de nomeada bem aceitável, nomeadamente Harleem e Twente, este último onde finalizou a sua formação e se estreou a nível senior na Eredivisie. Após um empréstimo bem sucedido no Go Ahead Eagles, este destaca-se no Twente, seu clube materno. Atinge um nível estonteante, assinando pelo seu clube anterior, o Spartak Moskva, por, alegadamente, 15 milhões de euros. É aqui que atinge o seu nível mais alto, com futebol de Champions League e disputa de títulos, alcançou um estatuto assombroso, sagrando-se campeão e o melhor jogador da liga, simultaneamente. Essas prestações levaram-no a assinar pelo clube de Sevilha, e a chegar a um grande clube europeu (não se desvalorizando qualquer outro clube que tenha representado).

Após esta pequena análise da carreira do jogador, segue-se aquilo que verdadeiramente interessa, a análise da prestação em campo de Quincy Promes. O extremo holandês é declaradamente um desequilibrador, com uma capacidade de bater os seus adversários de grande nível, possuindo uma técnica e imprevisibilidade que tornam o seu um para um muito difícil de contrariar. Atuando preferencialmente pela esquerda do ataque, este tem habilidade para encurtar linhas e procurar terrenos interiores, possuindo critério e inteligência para escolher a melhor opção das possíveis, como o remate à baliza, a tabela, o passe a rasgar, ou mesmo um passe recuado. Possui técnica para colocar a bola onde pretender, e visão de jogo para encontrar essas opções improváveis e destabilizadoras para a defesa contrária. Tem também a capacidade de procurar a linha de fundo, batendo os seus adversários diretos com a sua rapidez e capacidade de drible, visando, usualmente, o cruzamento recuado (depreendemos este último ponto, orientação de Massimo Carrera).

Para além da sua requintada técnica para atacar no último terço, e sendo este, declaradamente, o seu ponto forte, daí o explanarmos de forma mais detalhada, Promes possui caraterísticas que nos fazem olhar para o atacante holandês como um jogador não só virtuoso, como inteligente, versátil, criterioso e alguém que pensa sempre em prol da equipa que representa. Aquilo que nos faz advogar este ponto de vista, é no sentido de este mesmo sendo o jogador mais importante do Spartak, este sabe não tentar ser individualista (no mau sentido) nem exagerar as suas intervenções de modo a não prejudicar a equipa.

Pode o leitor perguntar: “Qual é o estilo de jogo mais favorável para Quincy Promes?”, nós respondemos: “Qualquer um em que se jogue bom futebol e que se queira ter a bola”. Não obstante, salientamos a capacidade deste jogador de se posicionar sem bola, possuindo boa noção do espaço e comprometimento com a equipa no aspeto defensivo. Falha, no entanto, na reação à perda, mas muito disso pode advir da preponderância que lhe é pedida no momento ofensivo, e tudo o que esta acarreta em termos de resistência, preparação física, velocidade máxima, aceleração, entre outros. Sequencialmente, abordando a questão que interpusemos a nós mesmos, este possui qualidades particulares para participar em organização ofensiva, salientando nós o que referimos dois parágrafos acima, pois são os pontos chave neste momento do jogo para este jogador. Em transição, apesar de no Spartak se praticar um futebol apoiado e de ligação curta, acontece com relativa frequência os colegas de Promes procurarem a profundidade, explorando a velocidade do holandês, ocorrendo isto muitas vezes em momentos ligados ao contragolpe.

Promes tem qualidade para receber, temporizar ou acelerar, e decidir qual a melhor opção quando alcança a zona de decisão (por mais subjetiva que a definição desta zona possa ser). Mesmo numa transição predominantemente de passe/condução com a bola no chão, este mais capacidade tem para acelerar e ultrapassar os seus adversários, criando muito perigo com a sua técnica e rapidez. Mais uma vez, a sua inteligência é chave para o seu sucesso.

Numa abordagem mais subjetiva e de opinião pessoal, advogamos já há alguns anos mais destaque tanto para o jogador como para as suas qualidades e tudo o que este faz em campo, pois não encontramos tanta concorrência quanto isso a jogadores deste género, e reiteramos que este era, acredite-se ou não, o melhor jogador do seu campeonato, merecendo mais reconhecimento internacionalmente e no âmbito da seleção nacional (apesar de em relação a este último ponto essa questão parecer estar a mudar). Um jogador que, aparentemente, o protagonismo recebido no Spartak não lhe fez nada mal, bem pelo contrário, só o ajudou a tornar-se melhor jogador, habilitando-o a atuar nos melhores campeonatos do mundo, não temos a menor dúvida.

[:]