Menu Close

Real Sociedad – Máquina goleadora

A Real Sociedad chegou, na última jornada, à liderança isolada da La Liga, ainda que à condição. Com 17 pontos somados em 8 jogos disputados (mais um que Real Madrid e Granada e mais 2 que Atl. Madrid), a Txuri-urdin tem sido a grande revelação neste arranque de campeonato.

Nos 8 jogos disputados na La Liga, a equipa comanda por Imanol Alguacil marcou 18 golos, sendo, neste momento, o melhor ataque da competição. A Real Sociedad é a demonstração de que a qualidade coletiva pode superiorizar-se à qualidade individual.

A estrutura tática base da Real Sociedad é um 4-3-3 com várias dinâmicas associadas.

Estrutura base da Real Sociedad em Organização Ofensiva

1ª Fase – Construção

Na 1ª fase de construção da Real Sociedad é possível identificar dois indicadores do jogar da equipa. O primeiro modo de sair a jogar é através dos dois centrais, que jogam largos, dificultando assim a pressão do adversário. O segundo modo identificado é a utilização do médio defensivo como terceiro homem de construção. Ao contrário do que se vê em muitas equipas, em que o médio defensivo encaixa entre os dois centrais, fazendo uma construção a três, na Real Sociedad essa construção a três acontece, mas a movimentação do médio defensivo é para uma das laterais. Ou seja, ao invés do médio defensivo se movimentar numa linha reta, ele executa uma diagonal (principalmente para o lado esquerdo), com o central esquerdo a ocupar a posição central e o central direito a descair para o lado direito.

O posicionamento e ações dos laterais também variam conforme o que a equipa realizar na 1ª fase de construção. Na construção a dois, os laterais não se projetam tanto, dando um apoio lateral mais próximo dos centrais. Caso a equipa realize uma construção a três, os laterais têm ordens para subir no terreno e projetarem-se, com a equipa a ter assim uma linha de quatro no setor intermédio (dois médios + dois laterais).

Análise à 1ª Fase – Construção da Real Sociedad

2ª Fase – Criação

Na 2ª fase do processo ofensivo a equipa de Imanol Alguacil é bastante dinâmica, móvel e versátil. Demonstram coesão entre corredores e setores, com movimentações coordenadas e interiorizadas.

O meio campo é, literalmente, o motor da equipa. Martin Zubimendi, Mikel Merino e o El Mago David Silva formam um trio de grande qualidade. Tecnicamente e tacticamente, La Real encontra nestes três homens a capacidade de criação que necessitam.

As triangulações e o movimento up-back-through, que consiste na utilização do 3º homem, são uma constante no jogo da equipa. Seja entre laterais, médios e extremos, entre os médios ou entre os médios, o avançado e os extremos.

A exploração da profundidade é uma arma no jogo da equipa, variando entre jogo interior e exterior. Assim, conseguem encontrar o espaços que procuram, seja entre linhas ou pelos corredores laterais, muitas das vezes livres para progressão do lateral. Procuram sair sempre a jogar de pé para pé, caso o adversário dificulte e consiga impedir uma saída de bola limpa, solicitam a referência ofensiva, que é imediatamente apoiado pelos médios e extremos.

Análise à 2ª Fase – Criação da Real Sociedad

3ª Fase – Finalização

Na última fase do processo ofensivo, a fase de finalização, a equipa da Real Sociedad é letal e perigosa, prova disso são os números que têm esta temporada.

Colocam sempre bastantes elementos em zonas de finalização, chegando, por vezes, a ter superioridade numérica em relação ao adversário. No mínimo a Real Sociedad coloca três jogadores em zonas de finalização: primeiro poste, segundo poste e marca de penálti.

A ocupação das zonas de finalização, a frieza e eficácia da equipa são fatores de destaque na Real Sociedad, o melhor ataque da La Liga até agora.

Todos os golos da Real Sociedad em 2020/21