Menu Close

Nova época para a equipa de Rúben Amorim, num Sporting que vem fazendo um ataque ao mercado de forma muito inteligente e sobretudo contratações que vão ao encontro daquilo que é o modelo de jogo do treinador. Não obstante à habitual aposta na formação, onde se encontram uma série de jogadores da academia no estágio no Algarve.

O primeiro jogo com transmissão deu-se frente ao vice-campeão da Bélgica. O técnico leonino apresentou um plantel jovem dentro daquele que tem vindo a ser o modelo e sistema de jogo apresentando na época passada, assente num 3-4-3 no momento de organização ofensiva.


Foram estes alguns dos destaques das novidades apresentadas no 11 do Sporting:

Fatawu – O jovem ganês de 18 anos assumiu a ala esquerda, onde é de destacar a sua agressividade defensiva, capacidade de sair na contenção aliado a uma elevada capacidade física de velocidade e agilidade, bem como a sua robustez no 1×1 defensivo. Ofensivamente procurou a profundidade e chegar a zonas mais adiantadas, à semelhança do modelo de jogo. Sendo extremo de origem, apresenta características que poderão vir a ser opção como ala no modelo de Rúben Amorim.

Mateus Fernandes – Com 17 anos de idade, foi um dos grandes destaques do jogo. À semelhança de Mateus Nunes, um jogador com uma passada larga, seja na recuperação, seja a carregar o jogo com bola, procurou roturas nos corredores laterais. Uma excelente surpresa, de um jogador que poderá vir a ser a sombra de Mateus Nunes no meio campo do Sporting, face a características idênticas e a um recorte técnico assinalável.

Morita – O médio japonês encheu o campo com uma qualidade técnica e decisão com bola que Palhinha não possuía. Entrou diretamente para o lugar que anteriormente era ocupado pelo internacional Português, na posição de médio mais recuado do meio campo, e demonstrou a sua imensa qualidade na fase de construção e mesmo em fase de criação com lances de igual perigo. Criatividade é o que Morita irá oferecer ao jogo do Sporting.

Luís Gomes – Com 18 anos de idade, jogou avançado/extremo do lado esquerdo. À semelhança do que é pedido aos outros extremos, movimentos mais interiores, contra-movimentos de apoio e rotura e alguma liberdade para deambular no centro do terreno, o jovem da formação do Sporting demonstrou imensa técnica e boa capacidade de decisão. Embora não tivesse durante muito tempo no centro do jogo, com bola criou perigo, procurou combinar e demonstrou que poderá a ser uma futura opção, numa posição que o Sporting possui imensa qualidade individual, ainda mais com as chegadas de Rochinha e Trincão.

Nazinho – Já com a estreia na equipa principal do Sporting, sendo ala esquerdo, jogou na posição de defesa central do lado esquerdo, um pouco à semelhança do posicionamento de Matheus Reis, mais liberto da posição, mais ofensivo, com maior liberdade para conduzir. Nem sempre com a assertividade do brasileiro, mas com potencial para crescer.

Chermiti – Apagado do jogo ofensivamente, perdeu bolas pela falta de técnica e de decisão e não correspondeu à oportunidade. Com apenas 18 anos, possuiu capacidade física interessante de progressão. Terá de evoluir na decisão e compreensão do jogo, para conseguir ser um elo de ligação no ataque e de ataque à baliza adversária.



Para todos os clubes, treinadores, jogadores, olheiros, agentes, empresas e media que queiram saber mais sobre os nossos serviços de scouting, não hesitem em contactar-nos através de mensagem privada ou do nosso email geral@proscout.pt.



Related Posts