Menu Close

Tabata a 8: o novo João Mário?

Com a saída de João Mário, abriram-se as portas para uma nova dupla no meio campo do Sporting. Palhinha parece, desde já, intocável, e são várias as soluções internas.

De forma surpreendente à maioria dos adeptos, Bruno Tabata foi introduzido na posição anteriormente ocupada pelo agora médio do Benfica. Na passada quinta-feira, os adeptos puderam ver ‘in loco’ o brasileiro na nova posição, cortesia da transmissão televisiva dos jogos de pré-epoca dos leões.

E afinal, em que difere Bruno Tabata face à concorrência?

  • Tecnicamente, o ex-Portimonense é muito refinado. Por não ter características de exploração de profundidade, a velocidade ou mesmo a aceleração de outros jogadores, acabou preterido na maior parte dos jogos em corredor lateral. A forma como Tabata trabalha a bola não casa na perfeição com o modelo de Rúben Amorim, que pretende agora explorar as mais valias do brasileiro em posição mais recuada e central no terreno.
  • Tabata sente-se muito confortável a jogar dentro do bloco adversário, o que desde já marca uma oposição direta com o antigo dono do lugar, João Mário. Em jogos contra equipas muito recuadas, a capacidade de receber de costas e segurar para esperar apoio, orientar no sentido da baliza ou combinar de primeira pode ser de uma mais valia tremenda para desmontar as linhas adversárias.

  • Por conhecer os movimentos que Amorim pede aos extremos, Tabata compreendeu muito bem -a partir da nova posição- aquilo que são os movimentos contrários necessários à desestabilização de qualquer equipa. Se o extremo baixasse no terreno para pedir a bola em apoio, Tabata procurou a profundidade, aproveitando categoricamente o espaço concedido entre o lateral e o central do mesmo lado para criar desequilíbrios. Por outro lado, soube receber entrelinhas permitindo que o extremo fizesse esse movimento de rotura.

O jogador pode ser ainda a face de uma nova versão do Sporting de Rúben Amorim. Na época passada foi comum ver os dois médios lado a lado em grande parte do jogo– fruto das características individuais de João Mário- e com Tabata podemos ver os médios a jogar em linhas diferentes, com o brasileiro a encarregar-se mais do processo ofensivo, tal como Daniel Bragança faz sempre que entra em campo.

A 15 dias da supertaça, Tabata parece o candidato mais viável a formar parelha com João Palhinha, havendo ainda por dissipar algumas dúvidas sobre o comportamento do 7 em momento defensivo, algo que não foi muito testado no único amigável em que pudemos observar.



Para todos os clubes, treinadores, jogadores, olheiros, agentes, empresas e media que queiram saber mais sobre os nossos serviços de scouting, não hesitem em contactar-nos através de mensagem privada ou do nosso email geral@proscout.pt.