Menu Close

Transição a chave para o sucesso

O Tottenham recebeu esta tarde o Manchester City à procura de alcançar o primeiro lugar da Premier League. Mais um duelo entusiasmante entre Mourinho e Guardiola, que acabou da mesma forma que na temporada passada: vitória por 2-0 num jogo em que a transição ofensiva foi a grande arma do técnico português. Os Spurs são assim líderes do campeonato, e ficam à espera do resultado entre o Leicester e Liverpool.

A equipa de Mourinho passou maior parte do tempo em organização defensiva, onde se destacou um esforço coletivo enorme. Concentração máxima de Hojbjerg e Sissoko em controlar Bernardo, De Bruyne e Cancelo que apareceram em zonas interiores. Coberturas muito bem feitas de Son e Bergwijn em apoio aos laterais, que estiveram competentes no controlo dos espaços e no desarme.

Mas o plano de Mourinho foi sempre sair em transição. Neste momento destacou-se o critério com que Kane decide e executa, mostrando ser um dos melhores do mundo neste aspeto. No primeiro golo, Ndombélé recebe orientado e vê uma defesa completamente desposicionada. Kane faz um movimento de aproximação para atrair a marcação de Laporte e Rúben Dias, e Son faz um movimento de rotura aproveitando o enorme espaço concedido por Cancelo.

Já no segundo golo, Alderweireld “despacha” a bola para a frente mas encontra Kane entre linhas, que depois de orientar a receção e ficar de frente para o jogo entende que tem espaço para progredir com bola e acelera. Após este momento tanto Son como Bergwijn fazem um movimento diagonal e de rotura para a direita, criando espaço para Lo Celso receber à vontade na esquerda e finalizar.