Menu Close

Um Super Brasil e Darwin!

4 jogos. 4 vitórias. As contas são simples para a seleção brasileira, que volta a vencer no apuramento para o Mundial 2022, desta feita perante um adversário de maior exigência. A seleção de Tite demonstra estar um patamar acima das restantes, somando já 12 golos marcados e apenas 2 sofridos. A equipa contava com algumas baixas, com destaque para Casemiro, Coutinho e Neymar. Ainda assim, o leque de escolhas é alargado e a resposta foi bastante positiva. Começando a construção com uma defesa altamente competente na construção de jogo (incluindo o GR), com Douglas Luiz e Arthur a garantir estabilidade ao meio campo e a permitir que Everton Ribeiro, Richarlison, Gabriel Jesus e Firmino se movimentassem livremente no último terço, os brasileiros criaram várias situações de desequilíbrio na organização defensiva do Uruguai, garantindo uma vitória sólida e sem contestação.

NOVATOS QUE SÃO GARANTIAS DE FUTURO

Brasil – Douglas Luiz

O médio defensivo de 22 anos cumpriu a 4ª internacionalização pela canarinha. É um dos destaques do excelente início de época do Aston Villa e conta com uma passagem pelo Manchester City. Foi o primeiro jogador de ligação para a 1ª fase de construção do Brasil, demonstrando capacidade técnica, tanto ao nível de passe como progredindo com bola em condução. Agressivo no momento defensivo e com capacidade de cobrir espaços.

89 minutos | 59 passes (90%) | 71 % de duelos aéreos ganhos | 7 recuperações de bola

Uruguai – Brian Rodríguez

Um pouco mais “rodado” destas andanças, contando já com 8 internacionalizações, nas quais apontou 3 golos. Extremo de 20 anos contratado pelo Los Angeles FC ao Peñarol por 10M€. Jogador dotado de uma excelente capacidade técnica e de decisão. Forte na cobrança de bolas paradas. Desequilibra preferencialmente pelos corredores laterais, mas tem também capacidade de surgir no corredor central, pela boa leitura de jogo que possui.

30 minutos | Dribles: 2 (50%) | 75% de duelos ganhos

Uruguai – Darwin Núñez

Este foi o 4º jogo de Darwin na seleção de Óscar Tabárez. Dele nasce o lance mais perigoso para a baliza de Ederson, com um potente remate à trave. O ponta de lança com maior potencial nos últimos 10 anos no futebol português! É preciso recuar até Falcao para encontrarmos um avançado com perspetivas de se afirmar como um dos melhores do mundo na sua posição.

90 minutos | 3 remates (1 à trave) | 56% de duelos ganhos | Dribles: 2 (100%)

Destaque ainda para a estreia, ainda que por poucos minutos, de Bruno Guimarães pela seleção brasileira, jogador que esteve associado ao Benfica antes de se transferir para o Lyon, e que se perspetiva ser um dos grandes médios de futuro no futebol mundial.