Menu Close

Em épocas anteriores, já ouvirmos falar de Nuno Santos como um dos talentos emergentes do futebol português, mas o jogador não tem tido a vida facilitada devido às várias lesões, algumas até graves. Contudo, falamos ainda de um jovem jogador de 25 anos de idade (nascido a 12-2-1995), natural da Trofa, que iniciou o seu percurso no Futebol Clube do Porto, com passagem breve pelo Padroense (fruto das parcerias entre os dois clubes nortenhos nos seus escalões de formação), mudando de ares nos juniores do Rio Ave, onde desperta a atenção do Sport Lisboa e Benfica que, rapidamente, o levou para o Seixal. Ainda com idade de júnior, o clube da Luz decidiu colocá-lo na ribalta, primeiro na sua equipa B e, depois, na equipa principal com a estreia em 2015/2016, onde se sagra inclusive, campeão nacional. Começam os problemas com as lesões, a condicionar o seu rendimento e levam a que os encarnados tentem dar-lhe minutos de jogo, emprestando o jogador ao Vitória de Setúbal onde participou em 32 jogos (26 deles na Liga NOS).

Internacional por todos os escalões da Seleção Portuguesa desde os sub-16, os problemas físicos tendem a manter-se e foi aí que o jogador decidiu, na época 2017/2018, transferir-se a título definitivo para Vila do Conde, onde consegue jogar com maior regularidade em 32 jogos (26 deles na Liga NOS). Contudo, na segunda temporada no Rio Ave, as lesões voltam a atormentá-lo e apenas participou em 8 jogos no principal escalão do futebol português.

Na actual edição da Liga NOS, Nuno Santos tem sido uma das figuras em destaque, sendo um titular indiscutível dos comandados de Carlos Carvalhal e na 5ª época a jogar na Liga NOS, mostra jogo após jogo todo o seu tremendo potencial: velocidade acima da média, bola sempre “colada” ao seu fantástico pé esquerdo, fortíssimo no 1×1, frieza no momento de finalização, capacidade para jogar ou como extremo esquerdo, ou como extremo direito.

Mesmo partindo de um dos corredores laterais, procura sempre movimentos com bola e em velocidade pelo corredor central, com fortes investidas na área adversária, sendo um dos principais pontos de referencia para saídas em transições defesa/ataque do modelo de jogo do Rio Ave.

Um craque que os grandes clubes de Portugal deviam seguir com bastante atenção para reforçar os seus planteis, até pelo baixo valor de mercado do seu passe, avaliado em 2 milhões de euros (uma verdadeira pechincha nos tempos que correm)